06/01/2020 às 05h40min - Atualizada em 06/01/2020 às 05h40min

Usuários reclamam após mudança no terminal de ônibus do Entorno

Transferência do embarque e desembarque de volta para a Rodoviária do Plano Piloto passou a valer neste domingo (05/01/2020)

Este domingo (05/01/2020) marcou o primeiro dia da volta do embarque e desembarque à Rodoviária do Plano Piloto dos ônibus que atendem o Entorno do Distrito Federal. Desde 2014, o serviço ocorria no prédio do Touring.

Agora, o transporte coletivo de passageiros do Distrito Federal/Goiás ocupará a Plataforma D do terminal. São 200 mil passageiros atendidos por dia, no trabalho que envolve sete empresas e um total de 110 linhas que se destinam a 11 cidades do Entorno do DF.

 

A transferência, no entanto, pegou muitos passageiros de surpresa. Os casos daqueles que descobriam a mudança apenas ao chegarem ao Touring eram maioria. Como aconteceu com Lilith Marques, 18 anos, e Ana Cláudia Santos, 19.

Sem o movimento dos ônibus, a dupla chegou a cogitar uma greve do transporte público. “Ontem (sábado, 04/01/2020), a gente veio aqui e estava normal. Chegamos aqui e tivemos essa surpresa. Se vocês não tivessem nos falado, não saberíamos”, afirmou Lilith.

Mesmo acreditando que o prédio do Touring é mais abandonado, em questão de segurança, do que a Rodoviária do Plano Piloto, Lilith desaprovou a transferência — realizada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) a pedido do GDF. “Preferia [que continuasse] aqui. Lá ficam muitos ônibus e é tumultuado. Aqui (no Touring) era mais organizado”, opina a babá.

Cláudio de Lima, 21, também foi um dos passageiros que não sabia da mudança. Ele foi avisado pelo segurança do prédio ao chegar ao local e não encontrar ônibus. Diferentemente de Lilith, Cláudio acredita que a transferência virá para melhor.
 

“Com a integração, talvez fique melhor para o pessoal que mora em Goiás”, aponta. “Tem gente falando que vai ser o caos, mas acho que na rodoviária vai ser melhor, por ser mais acessível.” A segurança do Touring é outra questão que, para Cláudio, torna a mudança positiva. “Direto, eu via assalto, além do comércio ilegal”, lembra o morador de Valparaíso.

 
Organização

Cícera Sobreira, 44, estava quase no prédio do Touring quando cruzou com outro passageiro, que a avisou sobre a mudança. Chegando ao novo local de embarque, a doméstica recebeu a ajuda de um fiscal da rodoviária.

“Tudo bagunçado”, definiu Cícera “Preferia que tivesse ficado lá.” Com a manhã chuvosa, a moradora do Entorno cobrou uma proteção contra a água, que invadia o terminal. “Precisamos chegar para trás”, conta.

Outra queixa foi sobre a identificação de quais boxes seriam destinados às linhas que ligam o DF ao Entorno. Apenas placas viradas para a pista informavam os passageiros.

“Tive que passar por trás [para descobrir]”, conta Aldo Armstrong, 19. “Acredito que vai ficar mais apertado”, completa o militar sobre a volta das linhas à Rodoviária do Plano Piloto.

Já Cleidson da Silva, 43, não acredita que a transferência fará diferença na vida dos passageiros. “Vai dar na mesma. Já era aqui antes. Não sei porque mudaram”, aponta o funcionário público. Cleidson também foi avisado sobre a mudança por outro passageiro, quando chegava ao Touring.

Há cinco anos, o transporte interestadual semiurbano funcionava na Rodoviária do Plano Piloto. Em março de 2014, houve necessidade de reforma no prédio para receber os ônibus do Expresso DF Sul, o BRT do Gama e de Santa Maria.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »