21/05/2020 às 07h49min - Atualizada em 21/05/2020 às 07h49min

Ibaneis e Fecomércio se reúnem para discutir reabertura do comércio no DF

Ibaneis está discutindo com sua equipe a melhor maneira de retomar a economia sem isso provoque um aumento desenfreado da contaminação por coronavírus

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, deverá se encontrar nesta quinta-feira (21) com o presidente da Federação do Comércio (Fecomércio) do Distrito Federal, Francisco Maia, para tratar da reabertura do comércio da cidade, fechado desde o dia 19 de março por decreto do governador, que teve como objetivo prevenir a transmissão do coronavírus. “Vamos com calma! Abrindo com ciência e paciência”, disse o Chefe da Casa Civil do Governo do DF, Valdetário Monteiro.

Decisão do juiz federal, Roberto Carlos de Oliveira, do Tribunal Regional da 1ª Região (TRF1), que derrubou decisão da Justiça Federal de reabertura escalonada do comércio do DF, devolveu ao governador Ibaneis a prerrogativa de decidir o que e como deve ser aberto o comércio do DF. Desde ontem o governador Ibaneis está discutindo com sua equipe a melhor maneira de retomar a economia sem isso provoque um aumento desenfreado da contaminação por coronavírus na cidade.
 

Shoppings na pauta

O presidente da Fecomércio enfatizou que a decisão final cabe ao governador, mas que sua principal reivindicação na reunião de amanhã será a rápida reabertura dos shoppings, por serem locais em que será mais fácil de fazer o controle das medidas de higiene. “Existem os protocolos sanitários para a reabertura dos shoppings que podem ser facilmente cumpridos”, explicou Maia.

O Distrito Federal tem 15 shoppings, alguns com mais de 250 lojas de diversos segmentos. Esses estabelecimentos devem empregar ao todo cerca de 25 mil pessoas.

 

O presidente do Sindicato dos Hotéis, Bares e Restaurantes (Sindohabar), Jael Antônio da Silva, espera que na reunião de amanhã o governador lembre-se que lojas do segmento já acabaram com muitos postos de trabalho por falta de recursos para continuar funcionando, e que as perspectivas não boas caso as portas dos estabelecimentos continuem fechadas. “Se os shoppings abrirem na próxima semana e nós na semana seguinte, estará ótimo. Mas se tem uma coisa de que precisamos é de saber qual será a data certa para a reabertura, pois temos que nos preparar, adquirir os insumos”.
 

De acordo com o relatório “Impactos Econômicos da Crise do Coronavírus”, do Governo do Distrito Federal, a queda estimada no faturamento dos bares, restaurantes e lanchonetes será entre R$ 848 milhões e R$ 1,9 bilhão, ou seja, entre 15% e 35%. De acordo com o relatório, o setor emprega 44.674 pessoas.

Outros segmentos com salas de cinemas e academias não deverão ser reabertos neste primeiro momento, como já previa o governo do DF. O faturamento anual de setor de diversões, de acordo com relatório do governo, é de R$ 745,3 milhões. As perdas estimadas para o setor variam de R$ 151,7 milhões a R$ 303,4 milhões, entre 20% e 41%, uma das maiores observada na economia local. O setor gera 4.351 empregos.

Já com relação às academias, o faturamento anual segundo o documento do GDF é de R$ 402 milhões. A perda estimada de faturamento vai de R$ 59 milhões a R$ R% 99,9 milhões, ou seja, de 15% a 25%. De acordo com o estudo o setor emprega 5.093 pessoas.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Oportunidade_de_emprego