06/06/2020 às 07h18min - Atualizada em 06/06/2020 às 07h18min

Sem acordo e salário, rodoviários iniciam paralisação

O Piracicabana foi a única a receber os repasses da Semob

Após a Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob) não repassar para as empresas de tranposrte público os vencimentos do mês, as empresas pararam de pagar os funcionários que a partir de hoje iniciaram uma parada coletiva. 

Por conta da falta de recursos para pagar os rodoviários, pela manhã os motoristas já tinham sido avisados da probabilidade de paralisação. 

O Secretário de Mobilidade, Walter Casemiro, se reuniu com o sindicato dos rodoviários. 

Já no começo da tarde alguns funcionários aderiram à parada no Gama, Santa Maria, Guará e P-Sul (Ceilândia). 

 

Em um áudio compartilhado nas redes sociais um rodoviário já indica a paralisação. “Boa tarde, galera. Acabei de ligar para um diretor do sindicato, a partir deste momento, todas as empresas, tirando a Piracicabana, conforme forem chegando nos terminais, os carros estão parando. Quem quiser pegar seu carrinho e piratear, essa é a hora”, disse. 
 

Segundo este motorista, a Piracicabana foi a única a receber os repasses. 

“Os carros vão ficar parados até cair o dinheiro na conta deles”, termina de informar o trabalhador. 

A situação não é uma novidade já que na quarta-feira (3), a Associação das Empresas de Transporte e Mobilidade (DFMob)  notificou o Governo do Distrito Federal demonstrando a dificuldade em fazer todos os repasses e honrar os vencimentos. 

Com a exceção da Piracicabana servidores da Urbi, Viação São José, Marechal e Pioneira devem aderir a paralisação, embora ainda não haja comunicado oficial aos funcionários. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »