11/10/2016 às 12h45min - Atualizada em 11/10/2016 às 12h45min

Exclusivo: Polícia Federal segue o rastro da sombra e implode ligações perigosas

Blog do Mino

Edson Sombra recebeu muito dinheiro para ser partícipe direto da armação que derrubou o ex-governador José Roberto Arruda. Para ele foi orgástico, a ponto de cumprir uma promessa feita a amigos: raspou a cabeça (como se faz com presidiário), bebeu meia garrafa de uísque e comemorou ironizando com o “A” de Arruda o resultado da arapuca montada na casa do seu mentor Eri Varela.

A partir de então Sombra passou a levar uma vida mais doce. Tanto, que criou uma senha especial: Ambrosia.

As sacolas adocicadas com cédulas de reais eram entregues na casa do ‘blogueiro’, na 716 Norte. A emissária era uma ex-servidora da Secretaria de Saúde, durante a passagem de Agnelo pelo Palácio do Buriti.

Um dinheiro sujo. Fruto de chantagem, extorsão, achaque. Edson Sombra se locupletou – e continua até hoje – com a corrupção. Arruda não foi sua única vítima. O blogueiro chantageou Agnelo Queiroz. E promove achaque contra Rodrigo Rollemberg.

Essas novas revelações constam de depoimento prestado pelo policial militar Luciano Lucas da Silva, à Polícia Federal. Hoje Sombra recebe ainda no governo de Rollemberg comissão por pagamento, pelo Palácio do Buriti, de faturas atrasadas de empresas que prestam serviços ao GDF nas áreas de Saúde e segurança privada. Não se tem o percentual exato da comissão. Mas sabe-se que as faturas somam muitos milhões de reais.

Luciano é uma das peças-chave que estão desmascarando Sombra. Mas vem mais coisa por aí, capaz de levar o ‘blogueiro’ para trás das grades. A segunda testemunha-bomba é Luís Paulo Costa Sampaio. Ex-braço direito do delator Durval Barbosa, de quem fazia as vezes de mensageiro pra carregar sacolas com dinheiro, Luís Paulo fez revelações assustadoras a um procurador de Justiça.

QuidNovi teve acesso a parte de depoimentos gravados em áudio e vídeo. Sabe-se agora, também, que Sombra foi traído pelo ex-comparsa Michael Vieira. Um delegado da Polícia Federal garante que a casa não caiu. Na verdade, desabou de vez, como castelo de areia varrido pelas ondas.

O cenário construído pelo ‘blogueiro’ Edson Sombra envolve até ameaça de morte. O inquérito corre em segredo de Justiça, mas nem por isso o QuidNovi deixou de obter alguns detalhes. Michael, ex-empregado de Sombra, abriu a boca. Entregou todas as tramoias em áudio e fotografia para o delegado da Polícia Federal atraindo o seu ex-patrão, de quem recebia salário mensal de 5 mil reais simplesmente para ficar com a boca fechada.

Edson Sombra, usando do seu blog, se faz de sonso. Anuncia com antecedência que será atacado com palavras levianas, embora seja do conhecimento geral que a verdade é outra. Ele anuncia aos quatro ventos que ‘armam’ contra ele, como ele ‘armou’ contra poderosos que cederam às suas chantagens.

A Polícia Federal não faz armações. O Ministério Público não faz armações. Trabalha-se dentro da legalidade para pegar criminosos inescrupulosos. E Sombra, mais dia menos dia, “verá o Sol nascer quadrado”, para usar uma expressão corriqueira no meio policial, quando se desenha a prisão de um bandido.

Os comentários gerais são de que a Polícia, o Ministério Público e a Justiça estão prestes a implodir uma verdadeira fábrica de grampos e dossiês que funcionava na 716 Norte e hoje ocupa luxuosas instalações de um apartamento na mesma Asa Norte.

Luciano, Luís Paulo e Michael são verdadeiras bombas-ambulantes. Quando as explosões acontecerem – e isso não vai demorar – uma corriola vai ser atingida pelos estilhaços.

O estrago será grande, principalmente para o empresário Eduardo Pedrosa, irmão da ex-deputada Eliana Pedrosa, que tem por atributo o péssimo hábito de construir conluios para tentar desacreditar pessoas idôneas. São informações que colocam novos ingredientes no rocambolesco caso da Caixa de Pandora. Tudo gravado, documentado, de uma fidelidade inquestionável sob a guarda da Polícia Federal, que entrou no caso por força dos recursos, desviados da área da Saúde pública, originários dos cofres da União.

Há quatro anos, o patrimônio do ‘blogueiro’ somava mais de 25 milhões de reais, com a maioria dos bens em nome de laranjas (leia a matéria aqui, Caiu a casa de Sombra, mas há outras de mais de 25 milhões de reais em nome de laranjas). Também é certo que Michael, a quem hoje tentam desqualificar como vagabundo, morava em um flat de propriedade de Sombra, sempre lembrando, nesse caso, a existência de laranjas. E para tudo ficar mais completo, resta lembrar que Luís Paulo, em uma das oportunidades em que levou dinheiro para o ‘blogueiro’, foi obrigado a ficar no local até a contagem final das cédulas – 1 milhão de reais pagos pelo delator Durval Barbosa.

No final, Edson Sombra saberá que ‘Ambrosia’ não é para qualquer um. É o néctar dos deuses, servido no Olimpo, onde bandido não entra.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Oportunidade_de_emprego