29/08/2020 às 07h36min - Atualizada em 29/08/2020 às 07h36min

Rio: investigado, governador em exercício promete reduzir criminalidade

“Vamos continuar trabalhando ainda mais integrados para levarmos paz à população fluminense", disse Claudio Castro

governador em exercício do Rio de Janeiro, Claudio Castro, fez na tarde desta sexta-feira (28/8) a primeira reunião de trabalho com a cúpula da segurança pública no estado, pouco depois de assumir o cargo. No encontro, ele reforçou a importância das ações de combate à criminalidade no estado.

Durante a reunião no Palácio Guanabara, sede do governo estadual, Castro ressaltou que as Secretarias de Polícia Civil e de Polícia Militar devem trabalhar integradas para garantir a segurança da população e a redução dos índices de criminalidade.

Nas últimas 24 horas, áreas do Rio de Janeiro viveram momentos de terror, com criminosos de uma facção rival tentando invadir o Complexo do São Carlos, na região central da cidade.

De acordo com o governador interino, o enfrentamento ao crime organizado, com planejamento e inteligência, será a principal diretriz da política de segurança no estado. Ele anunciou que pretende manter a equipe de segurança pública.

“Vamos continuar trabalhando ainda mais integrados para levarmos paz à população fluminense. Manteremos os comandos das secretarias, que estão fazendo trabalhos com resultados visíveis. Na última terça-feira, a Polícia Civil realizou a maior operação da história, cumprindo mandados de prisão contra 416 autores de roubo, latrocínio e receptação. O estado do Rio também registrou o menor número de homicídios dolosos em 30 anos. Esse tipo de crime caiu 19% em julho deste ano na comparação com o mesmo mês de 2019”, destacou Claudio Castro.

Participaram da reunião os secretários de Polícia Civil, Flávio Marcos Amaral de Brito; de Polícia Militar, coronel Rogério Figueredo; e de Administração Penitenciária, Alexandre Azevedo de Jesus. Também estiveram no encontro o secretário da Casa Civil, André Moura; o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Roberto Robadey; e o procurador geral do Estado, Reinaldo Frederico Afonso Silveira.

Vice investigado

Castro também foi alvo de investigação na Operação Tris in Idem, desencadeada nesta sexta, mas não houve a determinação de seu afastamento, só mandados de busca e apreensão na residência oficial.

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »