15/09/2020 às 08h00min - Atualizada em 15/09/2020 às 08h00min

Reajuste de policiais e bombeiros do DF vai a plenário da Câmara na quinta

Medida Provisória entrou na pauta da Câmara dos Deputados a pedido da bancada do DF no Congresso Nacional

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), incluiu na pauta da próxima quinta-feira (17/9) a votação da Medida Provisória nº 971, que trata do reajuste da Segurança Pública no DF. O pedido foi articulado pela bancada distrital no Congresso Nacional.

“Está na pauta da sessão de quinta-feira, conforme combinado com o presidente Rodrigo Maia”, confirmou a deputada federal Flávia Arruda (PL-DF), coordenadora da bancada.

Na última sexta-feira (11/9), os parlamentares estiveram reunidos na casa do deputado Luis Miranda (DEM-DF), relator da matéria, onde ficou decidido que, das 74 emendas feitas ao texto, serão selecionadas aquelas que não têm impacto financeiro. As demais não passarão.

A deputada federal Bia Kicis (PSL) foi a responsável por tratar do tema diretamente com o governo e a base. Érika Kokay (PT) faz a interlocução com a oposição.

Tadeu Filipelli (MDB), Julio Cesar (Republicanos) e Paula Belmonte (Cidadania) articularão para que a MP seja aprovada pelo plenário da Câmara dos Deputados por unanimidade.

Aceleração

Há alguns dias, o relator se encontrou com integrantes das forças de segurança do DF, o secretário Anderson Torres e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM). A fim de acelerar a votação, eles discutiram a possibilidade de não haver emendas à proposta, sobretudo nos textos considerados inconstitucionais e nas matérias alheias à MP.

Os parlamentares tentam fazer com que a votação do texto aconteça em breve: após 120 dias de sua publicação, que ocorreu em julho, ela perde a efetividade. O texto prevê os percentuais da recomposição salarial retroativa a janeiro deste ano para os agentes de segurança do DF. A estimativa é que o impacto da recomposição salarial neste ano fique em pouco mais de R$ 519 milhões.

O reajuste é de 25% na Vantagem Pecuniária Especial (VPE) devida a policiais militares e bombeiros. Na Polícia Civil, o aumento é de 8%, linear, para todos os cargos.

A MP 971 também corrige em 25% a tabela da VPE devida a PMs e bombeiros da ativa, inativos e pensionistas dos ex-territórios do Amapá, de Rondônia e Roraima, além do Distrito Federal. Essas carreiras fazem parte do quadro de servidores da União atualmente em extinção.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »