16/04/2017 às 07h23min - Atualizada em 16/04/2017 às 07h23min

Produção do DF é destaque na 11ª Feira Internacional de Artesanato

Esculturas, móveis sustentáveis e bijuterias, entre outros trabalhos, marcam a mostra, que fica aberta ao público até 23 de abril, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães

Por Agência Brasília
 
 

Morador do Guará, Zakeu Gomes, de 54 anos, encanta o público da 11ª Feira Internacional de Artesanato (Finnar) com peças feitas de material reciclado. Ele é um dos artistas brasilienses, presentes na mostra, que encontraram na sucata uma forma de ganhar a vida.


Com 4,80 metros de altura, a guitarra feita por Zakeu chama a atenção do público que passa pela feira. Aberta ao público nesta sexta-feira (14), no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, a mostra vai até 23 de abril.

 

Objetos que já não tinham mais serventia viram arte requintada na mão de artesãos habilidosos e criativos como o brasiliense. Frigideira vira relógio e chapa de portão velho ganha forma de cavalo, em escultura inédita na exposição.

 

Com projetos sociais em Santa Maria, Natal Silvestre, de 62 anos, transforma pneus velhos em poltronas e objetos de decoração para jardim. “É um trabalho 100% sustentável. O pneu, até por ser uma matéria prima reciclável e fácil de trabalhar, dá para fazer peças bonitas e duráveis”, explica o artesão.


De acordo com Natal, entre os produtos, os que têm mais saída são as poltronas e os pufes. Todo o material utilizado é doado pelas oficinas da região.

 

Ao todo, 63 artesãos brasilienses foram selecionados para expor na mostra, que ficará aberta de segunda a sexta, das 16 às 22 horas; e aos sábados, domingos e feriados, das 11 às 22 horas.


Mais de 700 artesãos de 20 unidades da Federação e de 15 países estão na mostra. De Recife, Leila Samudio expõe peças feitas com vidro colorido. Colares, brincos e pratos decorativos, entre outros artigos, estão entre os produtos que ela trouxe.

 

“O público daqui é excelente. Fiz de tudo para vir e expor”, conta a artesã, que já está em sua terceira participação na feira.

 

Além dos produtos de artesanato, a mostra traz comidas típicas, roupas, artigos de decoração, vinhos e acessórios. Oficinas também serão ministradas durante todo o período da feira. A expectativa de público é de mais de 100 mil pessoas.

 

O governo de Brasília apoia a iniciativa por meio da Secretaria do Esporte, Turismo e Lazer. Além de conceder espaço para o evento, a pasta deu oportunidade aos profissionais cadastrados para comercializar produtos na feira.

 

 

Morador do Guará, Zakeu Gomes, de 54 anos, encanta o público da 11ª Feira Internacional de Artesanato (Finnar) com peças feitas de material reciclado. Ele é um dos artistas brasilienses, presentes na mostra, que encontraram na sucata uma forma de ganhar a vida.


Com 4,80 metros de altura, a guitarra feita por Zakeu chama a atenção do público que passa pela feira. Aberta ao público nesta sexta-feira (14), no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, a mostra vai até 23 de abril.

 

Objetos que já não tinham mais serventia viram arte requintada na mão de artesãos habilidosos e criativos como o brasiliense. Frigideira vira relógio e chapa de portão velho ganha forma de cavalo, em escultura inédita na exposição.

 

Com projetos sociais em Santa Maria, Natal Silvestre, de 62 anos, transforma pneus velhos em poltronas e objetos de decoração para jardim. “É um trabalho 100% sustentável. O pneu, até por ser uma matéria prima reciclável e fácil de trabalhar, dá para fazer peças bonitas e duráveis”, explica o artesão.


De acordo com Natal, entre os produtos, os que têm mais saída são as poltronas e os pufes. Todo o material utilizado é doado pelas oficinas da região.

 

Ao todo, 63 artesãos brasilienses foram selecionados para expor na mostra, que ficará aberta de segunda a sexta, das 16 às 22 horas; e aos sábados, domingos e feriados, das 11 às 22 horas.


Mais de 700 artesãos de 20 unidades da Federação e de 15 países estão na mostra. De Recife, Leila Samudio expõe peças feitas com vidro colorido. Colares, brincos e pratos decorativos, entre outros artigos, estão entre os produtos que ela trouxe.

 

“O público daqui é excelente. Fiz de tudo para vir e expor”, conta a artesã, que já está em sua terceira participação na feira.

 

Além dos produtos de artesanato, a mostra traz comidas típicas, roupas, artigos de decoração, vinhos e acessórios. Oficinas também serão ministradas durante todo o período da feira. A expectativa de público é de mais de 100 mil pessoas.

 

O governo de Brasília apoia a iniciativa por meio da Secretaria do Esporte, Turismo e Lazer. Além de conceder espaço para o evento, a pasta deu oportunidade aos profissionais cadastrados para comercializar produtos na feira.

 

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Oportunidade_de_emprego