23/02/2021 às 19h33min - Atualizada em 23/02/2021 às 19h33min

Ibaneis: “Preciso que o governador de GO cuide da nossa população. Senão, fecharemos a divisa”

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, disse que moradores do Entorno ocupam 25% dos leitos de UTI da capital do país

Diante do recrudescimento da pandemia de Covid-19 e da progressiva necessidade de leitos dos sistemas público e privado de saúde, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), fez um apelo para que o governador Ronaldo Caiado (DEM) assuma o tratamento de pacientes do estado de Goiás. Nesta terça-feira (23/2), Ibaneis revelou à coluna Grande Angular que 25% das internações em unidades de terapia intensiva (UTIs) do DF são de pacientes do Entorno, especialmente provenientes de cidades goianas.

A região vizinha à capital federal está em situação de calamidade, em função do avanço da pandemia. Recentemente, 89 cidades do estado entraram para a lista dos municípios onde a crise sanitária está agravada. Sem acesso à rede pública de saúde em Goiás, muitos desses doentes acabam recorrendo a hospitais do Distrito Federal.

“O Governo de Goiás está negligenciando seus pacientes. Sem leitos e hospitais, transfere a obrigação de cuidar de sua população a nós, do DF. Não me furto a essa missão, mas está chegando a um ponto em que a gente precisa chamar a atenção do governador”, afirmou o chefe do Executivo distrital à coluna.
 

Segundo Ibaneis, Caiado precisa reabrir leitos de UTI e criar um novo hospital de campanha para tratamento de pacientes com Covid-19: “A crise está tão dramática quanto no ano passado e é necessário agir”. “Preciso que o governador de Goiás cuide da nossa população. Senão, fecharemos a divisa”, pontuou.

Dos 290.771 casos da Covid-19 confirmados no DF até a última segunda-feira (22/2), 18.317 (6,3%) eram referentes a pacientes que moram em Goiás. Os residentes do estado vizinho correspondem a 368 (2%) dos óbitos ocorridos na capital federal em decorrência da doença.

Variantes

O Ministério da Saúde confirmou que foram detectados em Goiás dois casos da variante do novo coronavírus do Reino Unido, e 15 casos da variante brasileira, identificada inicialmente no Amazonas. Os dados foram divulgados nesta terça-feira.

Há suspeita de que 14 moradores do Entorno do DF tenham se infectado com a variante britânica. Exames feitos no Instituto Adolf Lutz poderão comprovar a contaminação ou descartá-la.

 

Essas variantes são preocupantes porque as mutações podem causar aumento da transmissibilidade e agravar a situação epidemiológica nas áreas onde foram identificadas.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Oportunidade_de_emprego