19/07/2021 às 09h11min - Atualizada em 19/07/2021 às 09h11min

Vídeo: traficante ligado ao Comando Vermelho ostenta maços de dinheiro, jet ski e carros de luxo

Aos 20 anos, o homem tinha registrado em seu nome alguns veículos importados, como uma BMW 320i, apreendida pelas equipes da PCDF

Carlos Carone
Metrópoles
Carros importados, jet ski, viagens e muito dinheiro vivo. O luxo patrocinado pelo tráfico de drogas ditava o ritmo de vida dos membros da associação criminosa liderada por um integrante batizado da facção criminosa carioca Comando Vermelho (CV). Um dos bandidos tinha o hábito de usar as redes sociais para ostentar a rotina sofisticada mantida com a venda de cocaína e maconha, principalmente para pequenos traficantes que agem na área central da capital da República.

Vídeos e fotos obtidos em primeira mão pelo Metrópoles mostram como um dos integrantes do esquema criminoso gostava de torrar o dinheiro faturado com o tráfico de drogas. O homem, de 20 anos, tinha como função controlar a logística do bando. Ele era responsável por processar a droga, dividi-la e realizar o transporte. Os carros de luxos eram usados para fazer o chamado delivery.
 
Na avaliação dos traficantes, os veículos tinham menos chance de serem abordados durante o trajeto de uma casa na Colônia Agrícola Samambaia até o centro de Brasília. O braço direito do integrante do CV costumava circular pelo DF com grandes quantidades de dinheiro dentro do veículo. Ele fazia questão de filmar os maços com notas de R$ 100 e postar em suas redes sociais.
 
Patrimônio aos 20 anos
Aos 20 anos, o homem já tinha registrado em seu nome alguns veículos importados, como uma BMW 320i apreendida por equipes da Seção de Repressão às Drogas (SRD) da 5ª Delegacia de Polícia (Área Central), durante a Operação Sem Comando, deflagrada na sexta-feira (16/7). Ainda constavam como propriedade do traficante um jet ski e outros carros importados.

O criminoso costumava registrar momentos de glamour, como festas regadas a bebidas caras e drogas, além de viagens e dias de sol em piscinas. Mesmo com o padrão de vida elevado, o suspeito afirmou à PCDF que ganhava muito dinheiro e construiu o patrimônio trabalhando como prestador de serviços, fazendo a manutenção de aparelhos celulares.

Quando os policiais prenderam o suspeito, em flagrante, por volta de 6h, ele já estava de pé. No momento da prisão, o rapaz estava “picando” partes dos tijolos de maconha para serem embalados e depois distribuídos a outros traficantes que costumavam comprar a droga do grupo criminoso.

A operação
A ação desarticulou uma associação criminosa responsável por abastecer traficantes que atuam na área central de Brasília. O bando havia se especializado, também, na venda de cocaína e maconha pelas redes sociais. A operação cumpriu cumpre sete mandados de busca e apreensão nas seguintes regiões administrativas: Guará, Candangolândia, Riacho Fundo, Estrutural e Colônia Agrícola Samambaia.

Após três meses de investigação, policiais da SRD da 5ª DP identificaram que a associação criminosa comercializava as drogas usando o Facebook e o Instagram, além de grupos fechados no WhatsApp.

Pequenos traficantes que atuam no Setor Comercial também eram abastecidos pelos criminosos. O líder do grupo é do Rio de Janeiro e membro ativo do CV. Todos os investigados têm passagens pela polícia, especialmente pelos crimes de tráfico e roubo qualificado. Todos permanecem presos na carceragem do Departamento de Polícia Especializada (DPE).
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Oportunidade_de_emprego