01/08/2021 às 09h39min - Atualizada em 01/08/2021 às 09h39min

“Não aceitaremos uma farsa em qualquer eleição”, diz Bolsonaro

Presidente participou de motociata em Presidente Prudente (SP) e discursou a apoiadores ao lado de ministros e autoridades locais

Em um ato político em Presidente Prudente (SP), neste sábado (31/7), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que não vai aceitar o que chamou de “farsa” eleitoral caso o voto impresso não seja aprovado. A discussão do assunto, que virou bandeira do bolsonarismo, centraliza uma cruzada entre o governo, o Congresso e especialistas em eleição e tecnologia.
 
 
Partidos políticos e especialistas são categóricos ao defender a segurança das urnas eletrônicas, mas Bolsonaro tem questionado, desde já, o resultado das eleições de 2022 caso não haja a impressão do voto.
 
“Não vamos perder essa oportunidade. Nós queremos democracia, liberdade e eleições, mas repito: eleições democráticas, com voto democrático, com contagem pública dos votos. Não aceitaremos uma farsa em qualquer eleição que seja”, disse o presidente após participar de uma motociata na cidade.
 
“Se nós apresentamos mais uma forma de manter o voto confiável, por que alguns poucos, usando a força do poder, querem que continue sempre tudo como esteve?”, prosseguiu.
 
A Câmara dos Deputados discute uma proposta de emenda à Constituição (PEC) de autoria da deputada Bia Kicis (PSL-DF) para que, “na votação e apuração de eleições, plebiscitos e referendos, seja obrigatória a expedição de cédulas físicas, conferíveis pelo eleitor, a serem depositadas em urnas indevassáveis, para fins de auditoria”.
 
Sem votos favoráveis na comissão especial, a votação da PEC foi adiada por aliados de Bolsonaro para depois do recesso parlamentar. Nas últimas semanas, o ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), se reuniu com deputados e senadores de várias siglas para tratar da defesa da urna eletrônica.
 
Bolsonaro tem o acusado de interferência no Legislativo e disparado uma série de ataques ao ministro, aumentando a tensão entre Executivo e Judiciário.
 
“Quando se fala em democracia, ela só existe quando existem também eleições limpas. Não é como um ou outro quer; é da forma que o povo deseja. Nós queremos eleições, nós queremos votar, mas não aceitaremos uma farsa como querem nos impor. Pode ter certeza: o soldado que vai à guerra e tem medo de morrer é um covarde. Jamais temerei alguns homens aqui no Brasil que querem impor a sua vontade. A vontade do Brasil é a vontade de Deus. E a vontade aqui na terra é a vontade de cada um de vocês”, afirmou Bolsonaro no ato deste sábado.
 
Na última quinta-feira (29/7), Bolsonaro transmitiu uma live em que fez uma defesa enfática da adoção do voto impresso e voltou a falar sobre denúncias de fraude que circulam pela internet e já foram desmentidas.
 
O evento no Palácio da Alvorada foi aberto à cobertura de jornalistas credenciados pelo local e serviu também para o chefe do Executivo federal fazer fortes ataques ao ministro Barroso.
 
Agenda em Presidente Prudente
O chefe do Executivo federal está acompanhado de autoridades como os ministros da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e da Saúde, Marcelo Queiroga, e o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, além de deputados federais e autoridades locais. O presidente não usava máscaras e promoveu aglomerações no local.
 
Bolsonaro chegou à cidade do interior paulista por volta das 9h deste sábado. Além da motociata, estão previstas duas visitas a hospitais e um encontro com prefeitos dos estados de Mato Grosso do Sul, Paraná e São Paulo.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Oportunidade_de_emprego