07/08/2021 às 08h50min - Atualizada em 07/08/2021 às 08h50min

Executivo local espera vacinar todos os adultos até o fim de agosto

Governador Ibaneis Rocha (MDB) anunciou nas redes sociais que espera aplicar pelo menos a primeira dose em toda a população acima de 18 anos até o dia 31. Na terça-feira, o DF começa a imunizar pessoas com 25 anos ou mais

Com sete meses de campanha de imunização contra a covid-19, o Governo do Distrito Federal (GDF) espera aplicar ao menos a primeira dose em toda a população com 18 anos ou mais até o fim de agosto. A expectativa foi expressada pelo governador Ibaneis Rocha (MDB) nas redes sociais.

“Se confirmado o cronograma de envios de doses pelo Ministério da Saúde, nós concluiremos a vacinação da primeira dose de toda a população 18+ do DF até o fim de agosto”, disse. Especialistas afirmam que a notícia é boa, mas destacam que a imunidade comunitária só ocorre com 70% da população com o ciclo vacinal completo. Na terça-feira, o DF começa a atender pessoas com 25 anos ou mais.

A ampliação da faixa etária a ser atendida pela campanha de imunização foi possível após o Ministério da Saúde confirmar o envio de 214.770 doses de vacinas. Parte da nova remessa chegou nessa sexta-feira (6/8), e outra parte está prevista para esse sábado (7/8). Dos imunizantes, 178.330 serão destinados para primeira dose ou dose única (veja Distribuição). O atendimento continuará sem agendamento. Os pontos de vacinação serão divulgados pela Secretaria de Saúde. Na remessa, estão acrescidas 100 mil doses previstas como o repasse extra.

Atualmente, atendendo pessoas de 30 anos ou mais, o DF tem 65.83% da população adulta vacinada com uma dose e 27.65% com duas doses ou dose única. O infectologista César Carranza afirma que a tão almejada imunidade de rebanho ocorre quando se tem cerca de 70% da população vacinada com as duas doses. Porém, ele ressalta que, com o surgimento da variante Delta da covid-19 — identificada pela primeira vez na Índia —, a meta deve ser atingir 90% da população total imunizada.

“Com a Delta, os cálculos mudaram, já que ela é mais infecciosa. Por isso, mesmo com o avanço da vacinação, precisamos continuar com as medidas não farmacológicas. Não podemos baixar a guarda. Essa guerra não acabou. Estamos tentando ganhar batalha atrás de batalha”, complementa. O especialista ainda destaca que é importante que os governos local e federal estejam atentos às pessoas que ainda não se vacinaram ou não completaram a imunização, apesar de poderem. “Tem muita gente nessa situação”, diz.

Cobertura

Das 11 faixas etárias que fazem parte do público-alvo da vacinação, duas estão 100% imunizadas. Uma delas é o grupo de idosos com 80 anos ou mais, um dos primeiros a receberem os imunizantes, em fevereiro deste ano. De acordo com dados da Secretaria de Saúde, 113,87% desse público está imunizado contra a covid-19 — o índice passa de 100%, pois algumas doses foram aplicadas em pessoas residentes em outras unidades da Federação que não estavam incluídas no cálculo inicial do GDF. As pessoas de 70 a 79 anos também estão com mais de 100% do grupo vacinado com duas doses.

A partir dos 69 anos, a cobertura vacinal começa a se distanciar dos 100%. As pessoas de 60 a 69 anos puderam começar a se vacinar entre março e abril deste ano. Aqueles que receberam CoronaVac, que tem um intervalo de 14 a 28 dias entre as doses, já devem estar imunizados. Aqueles vacinados com a AstraZeneca ou Pfizer devem ter recebido o reforço em junho e julho.

O governo do DF tem conhecimento de que algumas pessoas que fazem parte do atual público-alvo da campanha de imunização ainda não se vacinaram ou não completaram o ciclo vacinal no prazo estimado. Segundo o secretário-chefe da Casa Civil, Gustavo Rocha, o GDF promove ações para incentivar essas pessoas a se vacinarem. “A gente tem feito isso constantemente. O governador chama as pessoas para comparecerem à imunização. Essa questão é feita, mas o ideal é que todos aqueles que estão no grupo apto busquem a vacinação”, informou, em coletiva realizada na última semana.

O casal Dilson Strossi, educador de 60 anos, e Jozenir Oliveira, psicóloga de 62, fazem parte do grupo que fez questão de não perder o prazo para se imunizar contra a covid-19. Moradores do Cruzeiro Novo, eles receberam a segunda dose há poucos dias e ainda aguardam as duas semanas necessárias para o organismo criar os anticorpos. Apesar disso, já se sentem mais aliviados por terem concluído o ciclo vacinal. Jozenir planeja realizar viagens adiadas com empolgação. “Volto a ter esperança em viajar ainda este ano”, diz. Já o marido conta que ainda pensa sobre os planos. “Se for fazer o que planejei em 2019, é como se não tivessem passado quase dois anos. Vou repensar o que quero, já que o novo normal mudou as coisas”, explica.

Nesta sexta-feira (6/8), foram aplicadas 34.624 primeiras doses (D1), 14,6 mil segundas doses (D2) e 603 doses únicas. No total, 1,4 milhão pessoas receberam a primeira aplicação no DF e 638.751 completaram o ciclo vacinal. Neste sábado (7/8), o atendimento continua para pessoas de 30 anos ou mais em 12 pontos, das 9h às 17h, sendo um deles noturno (18h às 22h), na Praça dos Cristais. Não é necessário agendamento, basta comparecer a um dos locais com documento de identificação e cartão de vacinação. Além disso, a Saúde vai atender os adolescentes de 12 a 17 anos com comorbidades que agendaram a vacinação. Ainda há vagas para esse público. Basta acessar o site vacina.saude.df.gov.br e realizar o agendamento.

Taxa de transmissão

A taxa de transmissão do novo coronavírus registrou alta pelo quarto dia seguido. O índice chegou a 1,04, o que indica que um grupo de 100 pessoas pode infectar outras 104. O dado consta no boletim epidemiológico divulgado ontem pela Secretaria de Saúde. Nesta quinta-feira, o índice estava em 1,03. Dois dias antes, em 1,02 e 1,01, respectivamente.

Entre quinta e sexta-feira, a pasta registrou 992 novos casos e 14 mortes por covid-19. No total, a pasta identificou 454.184 infecções e 9.703 óbitos pela doença desde o início da pandemia. Com a atualização, a média móvel de casos chegou a 683, o que indica uma alta de 21,6% quando comparado a 14 dias atrás. A mediana de mortes chegou a 13,3, variação positiva de 12% em relação ao mesmo período.

Apesar da alta na taxa de transmissão e nas médias móveis, o índice de ocupação dos leitos de unidades de terapia intensiva (UTIs) está em 58,72% na rede pública. Das 197 unidades, 101 estavam ocupadas, 71 vagas e 25 bloqueadas. Na rede privada, a ocupação era de 73,58%, sendo que das 263 UTIs, 142 estavam ocupadas, 53 livres e 68 bloqueadas.

Distribuição

» 153.270 doses da Pfizer (chegaram ontem à noite): 145.080 para D1 e 8.190 para D2

» 1.350 doses de Janssen (chegaram ontem à noite): todas de dose única

» 28.250 doses de AstraZeneca (chegaram ontem à noite): todas para D2

» 31.900 doses de AstraZeneca (chegam hoje de manhã): todas para D1


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Oportunidade_de_emprego