08/02/2022 às 05h47min - Atualizada em 08/02/2022 às 05h47min

Em uma semana, Câmara Legislativa registra 61 casos de Covid

Justiça determinou a suspensão das atividades presenciais no Legislativo distrital. Em todo o ano, 153 servidores se infectaram

Entre os dias 31 de janeiro e 6 de fevereiro, 61 servidores da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) testaram positivo para a doença causada pelo novo coronavírus. Desde a última quinta-feira (3/2), a Justiça suspendeu as atividades presenciais na casa, mas a ordem não foi seguida por todos os gabinetes.
 
Desde o início de 2022, foram 153 casos confirmados de Covid-19 entre servidores do Legislativo, o que quer dizer que 40% dos testes positivos do ano aconteceram apenas na semana passada. O primeiro caso conhecido entre as pessoas que trabalham na CLDF foi de um parlamentar, o deputado Jorge Vianna (Podemos).
 
Já na sessão de abertura do Legislativo em 2022, o deputado deixou o plenário alegando que estava febril. O diagnóstico que confirmou a doença do parlamentar saiu no dia seguinte, em 2 de janeiro. Em seguida, o Sindicato dos Servidores do Poder Legislativo e Tribunal de Contas do Distrito Federal (Sindical) pediu à Justiça a suspensão imediata das atividades presenciais.
 
No início da tarde desta segunda (7/2), servidores receberam comunicado em grupos informando que “em razão da liminar concedida pelo TJDFT, o expediente da CLDF retorna à condição anterior, ou seja, teletrabalho e sessões híbridas; até que haja manifestação do tribunal a respeito do recurso apresentado”.
 
Contudo, por volta de 15h, ainda havia equipes em atividade presencial, inclusive de portas fechadas.
 
Em nota, a assessoria de imprensa da CLDF ressaltou que “decisões judiciais têm que ser cumpridas” e explicou que “a decisão liminar derruba o Ato que instituiu a volta ao trabalho presencial, valendo, portanto, as regras estabelecidas anteriormente que dispunham sobre o teletrabalho na CLDF”.
 
“Até nova decisão judicial, o que está vigorando são os efeitos da liminar impetrada pelo Sindical, ou seja, o trabalho remoto”, diz a nota.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »