25/09/2017 às 06h54min - Atualizada em 25/09/2017 às 06h54min

Rodoviários acatam reajuste de 5,25% no salário e fecham acordo coletivo no DF

Acordo coletivo também prevê reajuste em tíquete e cesta básica, e passe livre no Metrô. No último mês, categoria fez paralisações relâmpago e chegou a anunciar greve

G 1

Rodoviários do Distrito Federal aprovaram em assembleia, na manhã deste domingo (24), a proposta de reajuste de salário e benefícios oferecida pelos empresários do transporte público. Com isso, a partir de outubro, os salários, tíquetes e cestas básicas serão reajustados em 5,25%.

A proposta também reajusta o valor dos planos de saúde e odontológico em 14%, e garante passe livre no Metrô aos rodoviários – que também já andam de graça nos próprios ônibus. Com o acordo, os ônibus e micro-ônibus do DF devem continuar circulando normalmente nos próximos meses.

O acordo vale para todos os motoristas e cobradores das empresas Piracicabana, Pioneira, Urbi, Marechal, São José e TCB. Cerca de um milhão de passageiros usam os ônibus do DF todos os dias, de acordo com dados do governo.

Longa negociação

As tentativas de acordo entre o Sindicato dos Rodoviários e os empresários começaram em julho deste ano. Naquele momento, os trabalhadores acataram uma "proposta provisória", com reajuste de 4%. O percentual representava a correção pela inflação, mas não dava ganho real de salário aos funcionários.

O acordo previa uma "trégua de 30 dias" para que as empresas apresentassem uma nova proposta e, em agosto, a categoria voltou a pressionar. Nas primeiras reuniões, os rodoviários chegaram a pedir 10% de reajuste salarial e 20% no vale-alimentação – valores que os empresários diziam ser "irreais".

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »