30/03/2018 às 07h14min - Atualizada em 30/03/2018 às 07h14min

Ação solidária do JBr. distribui ovos de Páscoa para crianças e adolescentes carentes

Neste ano, a campanha beneficiou a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) e a ONG Vida Positiva

Pelo terceiro ano, o Jornal de Brasília, em parceria com o colunista Marcelo Chaves, realiza uma ação solidária de Páscoa que promove doações de ovos de chocolate a instituições filantrópicas. Neste ano, as beneficiadas foram a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) e a instituição Vida Positiva. Foram comprados 107 ovos de chocolate, graças ao patrocínio de quatro padrinhos: Cláudia Galdina, José Lírio Ponte Aguiar, Luciana Côrtes e Márcio Paes.

Na tarde desta quinta-feira (29), houve uma festa para a entrega dos ovos na Apae, onde também foram parabenizados os aniversariantes do mês. Teve bolo e docinhos, além de muitos sorrisos nos rostos dos adolescentes. Lá, foram entregues 80 ovos.

A presidente da Apae, Diva da Silva Marinho, revela que a doação é muito significativa para os alunos. “É importante para eles, isso gera uma felicidade grande e um sentimento de inclusão à sociedade. Não é só a doação, mas a presença das pessoas também faz muito bem a eles”, explica. Carlos Eduardo Nunes dos Santos, de 26 anos, é um dos alunos da associação e diz estar muito feliz com o presente. “Nunca ganhei ovo de Páscoa, essa é a primeira vez. Vou aproveitar e dividir com a minha família”, conta, animado.

No instituto Vida Positiva, 23 pessoas foram presenteadas. Para a cuidadora Cristiane Abreu, receber a doação foi muito gratificante. O estudante Leonardo Augusto Araújo, 20, revelou que, apesar de ganhar ovo de chocolate todos os anos, ficou muito feliz por ter recebido a doação. “Não é qualquer pessoa que tem essa oportunidade”, conta.

Os quatro ovos que restaram foram encaminhados para pessoas carentes, direcionados pela diretora financeira do Grupo JBr. de Comunicação Dagmar Galvão, totalizando 107 ovos de chocolate doados.
 

Apadrinhamento

A estilista Cláudia Galdina diz que sente um prazer indescritível em poder ajudar as crianças e adolescentes beneficiadas pela ação. “Poder contribuir com um pouco que seja é uma alegria que não sei dimensionar. Falo que a alegria do próximo é minha felicidade. É bom colaborar com quem precisa”, diz.

Já a empresária Luciana Côrtes garante que alegria maior que a dos beneficiados é a dela. “A felicidade maior é a minha, em poder participar de um momento como esse e ver um sorriso no rosto dessas crianças. São elas que me ajudam com o sorriso delas, alegrando meu dia”, pondera.

Apae

A Apae-DF é uma organização não-governamental, sem fins lucrativos, fundada em 20 de agosto de 1964. O local atende prioritariamente pessoas com deficiência intelectual (associada ou não a outras deficiências) e acima dos 14 anos de idade.

A associação possui quatro unidades, sendo elas na Asa Norte, Ceilândia, Guará e Sobradinho. Atendem ao todo cerca de 512 alunos. O papel fundamental da Apae é incluir os adolescentes no mercado de trabalho e já possui cerca de 280 alunos inseridos no mercado.

Vida Positiva

Fundado em 2006, o instituto tem por missão levar qualidade de vida a todos aqueles que convivem com o HIV. A Vida Positiva é uma das primeiras organizações a trabalhar o tema HIV/Aids no Distrito Federal e na região Centro-Oeste e vive de doações.

Além disso, atualmente, a instituição distribui cestas básicas, cestas verdes, eletrodomésticos, roupas e calçados para mais de 130 famílias cadastradas e serve, em média, 20 almoços semanais para pacientes indicados por hospitais públicos da cidade.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Oportunidade_de_emprego