30/03/2018 às 07h24min - Atualizada em 30/03/2018 às 07h24min

Advogado e ex-policial militar são presos em operação deflagrada pela PCDF

Departamento de Atividades Especiais (Depate) cumpriu, ao todo, dez mandados de prisão

Dez pessoas foram detidas esta semana por agentes do Departamento de Atividades Especiais (Depate), da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), na Operação Semana Mais Santa. Entre os presos há um advogado e um ex-policial militar foragido da Justiça. Ele já havia sido condenado a 21 anos de prisão em regime fechado, acusado de cometer latrocínio. Procurado desde 2000, o mandado contra ele expiraria em agosto deste ano.
 
Entre os presos estão, também, duas pessoas acusadas de tráfico de drogas e outras sete, em cumprimento a mandados de prisão. Outro alvo era apontado como autor de um estupro de vulnerável.

O Policial Hermínio Marques de Souza, de 50 anos, foi condenado a 21 anos de prisão em 2000 e estava foragido desde então.

O delegado Antônio João Dimitrov, diretor da Divisão de Capturas e Polícia Interestadual (DCPI), explica como o ex-policial quase conseguiu escapar da Justiça por tanto tempo. “Ele estava vivendo praticamente como outra pessoa em uma invasão próxima ao Condomínio Mestre D’armas, em Planaltina. Nós recebemos a informação de sua localidade e fomos lá confirmar”, conta o delegado. Hermínio foi preso na madrugada desta quinta-feira (29).

De acordo com Antônio, o ex-policial militar era envolvido em roubos de veículos e foi condenado, pois, em um dos assaltos a vítima acabou morrendo. “Ele mudou de vida e foi viver na roça, não tinha nada no nome dele. Vivia de bicos, ajudando os agricultores”, comenta. Agora, o homem terá que cumprir toda a pena, de 21 anos de prisão.

A operação ainda prendeu mais nove pessoas, duas em flagrante por tráfico de drogas e sete pelo cumprimento dos mandados de prisão dos mais diversos crimes, como roubo, associação criminosa, porte ilegal de arma de fogo, entre outros. Foi apreendido também 1 kg de maconha.

O homem condenado por estupro, segundo o delegado, o homem havia se separado da ex-namorada e ainda tinha as chaves da casa da moça. Assim, o suspeito entrou na casa da mulher e praticou o ato sexual sem o consentimento dela. Todos os presos já foram apresentados à Justiça.

A reportagem do Jornal de Brasília aguarda o retorno da Polícia Militar para saber quando o militar deixou a corporação.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Oportunidade_de_emprego