31/03/2018 às 08h30min - Atualizada em 31/03/2018 às 08h30min

Mais dez anos de enrolação

O Brasil não apresenta solução duradoura para nada.

Miguel Lucena
Miguel Lucena

Sempre que a corda estica demais, ao ponto de arrebentar, aparece alguém que afrouxa o cabo de guerra, faz remendos nas partes fracas e deixa esticar de novo, repetindo o mesmo procedimento indefinidamente.

O Brasil não apresenta solução duradoura para nada. Quando cria algo aparentemente positivo, como o Sistema Único de Saúde, generaliza de tal forma a providência que o público-alvo acaba não sendo beneficiado, diante das falhas, da burocracia e da corrupção do sistema.

Na Educação, a pisada é a mesma. O Fundo de Manutenção da Educação Básica, que sustenta o sistema, destina bilhões ao setor, porém a União participa com pouco, deixando a maior carga com os estados e municípios. O Governo Federal inverte as prioridades e despeja 70% dos recursos educacionais no ensino superior público, para onde vão os ricos e a classe média alta, oriundos do ensino fundamental privado. Pobre, oriundo da escola pública básica falida, se quiser se formar, que pague faculdade privada.

Agora, diante da crise de segurança pública, preparam no Congresso um plano de integração das forças policiais com duração de 10 anos. É sempre assim. Sempre que não se quer resolver algo, forma-se uma comissão. Todos sabem o que deve ser feito. Valorizem os policiais, integrem as ações na prática, afastem os corrompidos, equipem as polícias, invistam em tecnologia e Inteligência. Vão achar pretexto para destinar mais verbas aos estados para que o dinheiro do povo se perca no ralo da safadeza. Até lá já morreu muita gente.

*Miguel Lucena é Delegado de Polícia Civil do DF, jornalista e escritor.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Oportunidade_de_emprego