02/02/2017 às 08h02min - Atualizada em 02/02/2017 às 08h02min

Rollemberg parte para o ataque

Afagos a antigos aliados.

Eixo Capital

A ida de Rodrigo Rollemberg à Câmara Legislativa, escoltado por secretários e a escolha de um novo chefe para a área de comunicação mostram uma mudança na postura do governador. O chefe do Executivo inaugura, assim, um estilo mais agressivo na defesa da própria gestão. Rollemberg subiu ontem à tribuna do plenário da Câmara — mesmo púlpito de onde seus adversários proferiram duras críticas ao seu governo recentemente — e gastou 30 minutos detalhando realizações. Depois de dois anos de mandato com uma postura mais defensiva, o governador vai investir todas as fichas em uma melhor divulgação da gestão, com foco no ataque. 

 

Gentilezas e elogios

 

Celina Leão (PPS) é a principal voz de oposição ao governo na Câmara Legislativa, mas a distrital recebeu um sorridente aperto de mãos do governador. Um fato chamou a atenção no discurso de Rollemberg ontem. Ele citou a deputada distrital Liliane Roriz (PTB), inimiga de Celina, quatro vezes e agradeceu o apoio e as realizações da parlamentar e do pai dela, o ex-governador Joaquim Roriz. 

 

Afagos a antigos aliados

 

Rollemberg aproveitou o discurso para elogiar Reguffe (sem partido), um antigo aliado de quem ele se afastou nos últimos anos. O governador citou a emenda articulada pelo senador, que destina recursos para a construção do Hospital do Câncer. Enquanto isso, Reguffe participava da eleição do novo presidente do Senado. Ele e Cristovam Buarque (PPS) votaram em José Medeiros (PSD-MT). Já Hélio José apoiou o correligionário Eunício Oliveira (PMDB-CE).

 

Em defesa do GDF, até nos anúncios impopulares

 

O jornalista Paulo Fona assume a Secretaria de Comunicação na próxima segunda-feira. Ele vai substituir Luciano Suassuna, que deixou o posto em uma solução negociada com Rollemberg. O secretário-adjunto de Comunicação, Ricardo Taffner, também entregou o cargo ontem. Com a mudança, o governador espera mostrar mais as realizações do GDF. Fona deve atuar como um porta-voz para todos os temas — uma figura que faz falta no Palácio do Buriti, segundo pessoas próximas ao chefe do Executivo. Com uma base aliada frágil na Câmara Legislativa, Rodrigo Rollemberg não tem ninguém que mostre a cara para defender o governo, principalmente quando há anúncio de medidas impopulares. 

 

Fidelidade negociada

Outra novidade marca a guinada do governo. Deputados aliados vão formar um bloco único, para atuar na defesa dos interesses do Executivo e para disputar de forma agressiva o comando das comissões permanentes. O grupo já tem a assinatura de 11 parlamentares, como o líder do governo, Rodrigo Delmasso (Podemos), Júlio César (PRB), Luzia de Paula (PSB) e Israel Batista (PV). Mas o documento ainda não foi protocolado. A fidelidade do novo bloco deve ser recompensada em breve, com o anúncio da reforma do primeiro escalão. A tendência é que as nomeações ocorram depois da eleição das comissões, marcada para o dia 7.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Oportunidade_de_emprego