02/01/2019 às 07h53min - Atualizada em 02/01/2019 às 07h53min

RAFAEL É ELEITO PRESIDENTE DA CÂMARA, SOB GRITOS DA OPOSIÇÃO

Notibras

Empossados e após empossarem o governador Ibaneis Rocha (MDB) durante a manhã desta terça, 1, os deputados distritais foram almoçar em um restaurante para aparar arestas empacavam a eleição da Mesa Diretora.

Um grupo, amplamente majoritário, era dirigido por Rafael Prudente, do mesmo partido do governador. Seu concorrente era Cláudio Abrantes, do PDT.

Sem consenso – apenas concordaram no prato de carne de sol, feijão verde e manteiga de garrafa – eles foram para a Câmara decididos a bater chapa.

O novo presidente do Legislativo local está em seu segundo mandato como distrital. Filho do ex-presidente da CLDF Leonardo Prudente, o emedebista tem 35 anos, é administrador e, na Casa, já foi corregedor e vice-presidente da Comissão de Economia, Orçamento e Finanças (CEOF). Rodrigo Delmasso, em segundo mandato, ficará com a vice-presidênciaE no frigir dos ovos, Rafael Prudente ganhou de lavada, obtendo 17 votos dos 24 em disputa. Consumada a eleição para a eleição da Mesa Diretora, foi decretado recesso até o dia 1º de fevereiro. Esse dispositivo consta do Regimento Interno.

Por fim, a composição da Mesa Diretor fico assim, para o biênio 2029/2020: o primeiro secretário e suplente os deputados Iolando (PSC) e Jorge Vianna (Podemos), respectivamente. O deputado Robério Negreiros (PSD) foi reeleito para a segunda secretaria da Casa, tendo como suplente Roosevelt Vilela (PSB). Já a terceira secretaria será comandada por João Cardoso (Avante), que tem como suplente Jaqueline Silva (PTB).

Também na sessão desta tarde, foram escolhidos o corregedor e o ouvidor da Câmara. Para o primeiro cargo foi eleito o deputado José Gomes (PSB) e, para o segundo, o deputado Daniel Donizet (PRP).

Bloco partidário – Todos os cargos em disputa ficaram com parlamentares do bloco “Para Unir o DF”, integrado por 17 distritais.

Os outros sete deputados chegaram a se organizar em bloco para tentar, de acordo com o princípio da proporcionalidade, pelo menos uma cadeira na Mesa Diretora, mas não conseguiram fazer frente à maioria.

O grupo receia, também, ficar de fora das comissões da Casa – as quais, após discussões sobre as normas regimentais.

Deputados como Cláudio Abrantes, Júlia Lucy, Fábio Felix (PSOL) e Leandro Grass (Rede) reclamaram da falta de representatividade nesses espaços e alertaram para o risco da falta de diversidade nos colegiados.

O deputado Chico Vigilante (PT), por sua vez, acusou o bloco formado por 17 nomes de estar “atropelando” os outros sete mandatários. “É assim que querem unir o DF?”, disparou.

O presidente eleito Rafael Prudente garantiu, contudo, não haver atropelo por parte do grupo majoritário: “Fizemos um acordo e vamos chegar a um entendimento, com certeza”.

Após a eleição da Mesa Diretora, a sessão foi suspensa por cerca de uma hora, para que os líderes partidários indiquem os nomes que vão integrar as comissões permanentes da Casa. A ideia é que os colegiados escolham, ainda nesta terça, seus presidentes e vices.

O Bloco “Para Unir o DF”, até agora em maioria, conta com: Martins Machado (PRB), Delegado Fernando Fernandes (Pros), Rafael Prudente (MDB), Delmasso (PRB), Robério Negreiros (PSD), Agaciel Maia (PR), José Gomes (PSB), Jorge Viana (Podemos), Iolando (PSC), Eduardo Pedrosa (PTC), João Cardoso (Avante), Roosevelt Vilela (PSB), Hermeto (PHS), Valdelino Barcelos (PP), Daniel Donizet (PRP), Reginaldo Sardinha (Avante) e Jaqueline Silva (PTB).


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Oportunidade_de_emprego