26/01/2019 às 07h41min - Atualizada em 26/01/2019 às 07h41min

Subsecretário do DF é exonerado após criticar militarização de escolas

Sergio Elias respondia pela Educação Básica e divulgou parecer contrário à medida sem autorização da chefia, de forma independente

METRÓPOLES

O professor Sergio Elias Carvalho Machado será exonerado do cargo de subsecretário de Educação Básica do Distrito Federal. Segundo o chefe da pasta, Rafael Parente, a demissão ocorrerá por conta de condutas que não foram profissionais.

O estopim ocorreu após Sergio Elias ter publicado um parecer contrário à militarização nas escolas do DF. O documento foi protocolado no Sistema Eletrônico de Informações (SEI), do Governo do Distrito Federal. Segundo o secretário de Educação, o problema foi que o servidor agiu de forma independente.
 

Parente chegou a fazer postagens no Twitter sobre mudanças estruturais na pasta. “Não há mais espaço para deslealdade, desrespeito, fofoca, rebeldia, atitudes vaidosas ou egocêntricas. Jogar em time é tão importante quanto ser íntegro e competente”, escreveu o secretário no microblog.

Procurado pela reportagem, Sergio Elias disse que se pronunciaria posteriormente. “Tem um ano letivo pra começar e fico preocupado com o início das aulas. A casa tem que estar tranquila para receber nossos estudantes”, disse ao Metrópoles.
 

 

Estamos fazendo algumas mudanças na estrutura. Precisamos que compreendam (especialmente nas sedes e nas CREs) q não há mais espaço para deslealdade, desrespeito, fofoca, rebeldia, atitudes vaidosas ou egocêntricas. Jogar em time é tão importante quanto ser íntegro e competente.

<div aria-label="Ver no Twitter" class="Icon Icon--chevronRightCTA " role="img" style="height: 1.25em; background-repeat: no-repeat; background-size: contain; vertical-align: text-bottom; width: 1.25em; background-image: url(" data:image="" svg+xml;charset="utf-8,%3Csvg%20xmlns%3D%22http%3A%2F%2Fwww.w3.org%2F2000%2Fsvg%22%20width%3D%2224%22%20height%3D%2224%22%20viewBox%3D%220%200%2024%2024%22%3E%3Cpath%20class%3D%22icon%22%20fill%3D%22%23697882%22%20d%3D%22M17.207%2011.293l-7.5-7.5c-.39-.39-1.023-.39-1.414%200s-.39%201.023%200%201.414L15.086%2012l-6.793%206.793c-.39.39-.39%201.023%200%201.414.195.195.45.293.707.293s.512-.098.707-.293l7.5-7.5c.39-.39.39-1.023%200-1.414z%22%2F%3E%3C%2Fsvg%3E&quot;);" transform:="" scalex(1);"="" title="Ver no Twitter"> 

 

No parecer, o professor diz que o programa é “conceitualmente conflitante’ com o previsto na lei de gestão democrática do sistema público de ensino do DF no que se refere à composição da equipe gestora. “O projeto não vislumbra a participação da comunidade na escolha da gestão estratégica e disciplinar”, diz o texto.

Além disso, ele chama atenção para os impactos da criação de estrutura desigual a apenas quatro unidades, “diante da inexistência de profissionais exclusivos para o acompanhamento disciplinar em todas as escolas”. Por fim, Sergio Elias sugere que a Polícia Militar “resgate do papel histórico e relevante socialmente, outrora realizado no Projeto Batalhão Escolar, para restabelecer o ambiente seguro e favorável ao trabalho pedagógico”.

A Secretaria de Educação informou que na vaga de Sergio será nomeada Jackeline Domingues. Ela é professora e servidora de carreira do órgão há 20 anos, foi subsecretária de Gestão de Pessoas e secretária adjunta de Administração Pública do GDF. “Com a mudança, o secretário de Educação, Rafael Parente, faz a readequação necessária na equipe que constituiu para cumprir os compromissos de campanha do governador Ibaneis Rocha, o Plano Distrital de Educação e o Planejamento Estratégico da SEDF”, disse a pasta por meio de nota.

Polêmica
A implementação do ensino militar em esco

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »