17/02/2019 às 15h53min - Atualizada em 17/02/2019 às 15h53min

​Repórter denuncia ambulância abandonada em oficina de Novo Gama

Correio de Santa Maria
Tom d Paula


Já dizia o saudoso Ulisses Guimarães: “única coisa que faz o político tremer é a voz do povo”.
 A denúncia deste repórter e radialista através das redes sociais mostrando uma ambulância do município largada dentro de uma oficina por um período de aproximadamente sete meses, fez a chefe do Executivo local se movimentar.
É que, após a o caso vir a conhecimento da população como mais um descaso com a coisa pública, a prefeitura resolveu agir e retirou na manhã da sexta-feira (15) a ambulância da oficina, a qual foi guinchada para o pátio de serviço da prefeitura.
O fato, considerado de grande relevância, deixa claro à importância da imprensa Alternativa do município de Novo Gama. Se este repórter e radialista (Tom d Paula), não houvesse feito a denúncia, com certeza, a ambulância adquirida para servir aos pacientes carentes do município de Novo Gama se acabaria dentro de uma oficina. Por esse motivo, a imprensa alternativa s continuará dando vez e voz ao povo deste município, ora informando e ora denunciando o descaso que já faz parte do cartão postal do município de Novo Gama. 
Ao tomar “conhecimento” do caso, se é que realmente nada sabia Junior da Cultura responsável pela assessoria de comunicação da prefeitura que nos enviou a seguinte nota:
Nota da Prefeitura!
“Devido o motor está fundido pelo tempo de uso e por várias vezes dando manutenção cara e se tornando inviável devido à dificuldade das peças e custos por ficar muito alto para os cofres públicos e com a chegada das novas ambulâncias que atendem as demandas e as necessidades do município foi decidido baixar esse veículo. Por esta razão ainda se encontrava na oficina desde Novembro de 2018. Somente agora estava na programação o retorno da ambulância para o pátio da Prefeitura municipal”, disse o assessor.
No entender deste que vos escreve e que foi o autor da denúncia, Junior tenta explicar o inexplicável ao relatar a permanência da ambulância até que se praticasse a baixa.
Já que perguntar não ofende, depois de baixada ela seria vendida aleatoriamente como sucata para o ferro velho ou para a própria oficina? Estaria tal ambulância guardada em tal oficina gratuitamente?  E para terminar o questionamento, já que a manutenção era inviável e o veículo seria baixado junto ao DETRAN-GO e banido do patrimônio da prefeitura, o correto não seria ela estar na oficina do pátio de serviço e manutenção da prefeitura ao invés de estar largada em uma oficina particular?

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »