24/02/2019 às 13h01min - Atualizada em 24/02/2019 às 13h01min

Velha política, profissionais e Vitalícios

Ao contrário dos idiotés (maneira com que os gregos tratavam os que não participavam da política), o idiota atual continua votando em políticos profissionais e vitalícios.

Por Vital Furtado
www.correiodesantamaria.com.br

Ao longo dos 43 anos atuando como Jornalista Profissional, poucos são os políticos que tenho apreço e respeito, a saber; aqueles que eras meus amigos antes de se tornarem políticos bem quanto aos que tem testemunho e caráter do político, modelo raro, porém, alguns que ainda nos fazem acreditar que a política ainda tem jeito e pode ser exercida com seriedade e respeito com os eleitores e com a coisa pública.
Não que eu queira ser o dono da verdade. De maneira alguma. Mas, se assim me comporto, isso é fruto da existência de um tipo de político que classifico como ‘profissional’ ou ‘Vitalício, ou seja; o tipo que desiste, mesmo não se elegendo em nenhuma campanha a qual disputou. Me perdoem os mais ‘sensatos’, mas, esse tipo de político eu os vejo vê com desprezo, tanto que chego a comentar com alguns colegas quando chegam até a minha pessoa para falar dos tais, a seguinte frase: “sai fora dessa peça meu amigo. Teu (a) candidato (a) é do tipo CAMPEÃO DE DERROTA, mas, que em todas as campanhas tenta se eleger porque não quer “largar o osso”. 
Quero aqui deixar bem claro, principalmente no meio em que pertenço (EVANGÉLIC0), que não estou me referindo a candidato “A” ou “B”, mas sim, em figuras carimbadas e conhecidas de longe por qualquer eleitor.
Devida a tanta investida sem sucesso, alimentado a vã esperança de se tornar uma pessoas pública eleita pelo voto, mas, que só conhece o sabor da derrota, eu me questiono: “por que razão não abandonam de vez a atividade política, para cuidar de si mesmos e de seus interesses particulares”?
Será que para esse tipo de políticos profissionais ou vitalícios a vida se resume ao poder de um mandato político? Será que nunca pensaram que o povo já sabe que nos períodos eleitorais eles reaparecem como fantasmas para a população.
Chego a acreditar que a maior contribuição que esses políticos profissionais e vitalícios dariam para o País, Estado, Município, para o povo a até para eles mesmos seria desistir de sua sedenta ganância do Poder e se voltassem para a sua profissão ganha pão de cada dia ou então, que se recolhessem ao seu reduto ficando quietos em seu quadrado.
 
Não como Jornalista, mas, na qualidade de eleitor consciente que sou conclamo a todos a fazer uso do seu voto para dizer NÃO aos políticos Vitalícios, ressentidos, magoados, insistentes, que são derrotados em todas as eleições e que nada mais têm a oferecer, e dar uma oportunidade de confiança através de seu voto, para novos candidatos, com idéias novas e com muita vontade política de ver as coisas acontecerem de acordo com os anseios da comunidade cansada de ser enganada e decepcionada.
Analise o perfil de cada candidato que se inicia na política e, depois de aprovado pela sua consciência, diga SIM a ele nas urnas.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »