16/02/2020 às 06h47min - Atualizada em 16/02/2020 às 06h47min

Moro anuncia prisão de miliciano envolvido em morte de policial

O ministro da Justiça, Sergio Moro, disse no Twitter que confia na PF para identificar e prender outros envolvidos

Um suspeito de envolvimento na morte do policial federal Ronaldo Heeren, 59 anos, foi preso na madrugada deste sábado (15/02/2020), na Rodovia Presidente Dutra (BR-116), em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O homem seria chefe da milícia conhecida como “Bonde do Ecko”, que atua nas comunidades do Rola e Antares, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

A prisão do suspeito foi celebrada pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, nas redes sociais. Isso porque o homem seria um dos integrantes da lista de procurados da pasta.

 

Em seu perfil oficial do Twitter, Moro escreveu que confia na Polícia Federal para identificar os outros responsáveis e ressaltou “inestimável apoio” da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que prendeu o suspeito.

Policiais rodoviários federais faziam patrulhamento na rodovia quando localizaram o suspeito, ao desconfiarem dos passageiros de um carro — dois homens e duas mulheres ocupavam o veículo. Durante a revista, os agentes da PRF encontraram duas pistolas calibre .40, carregadores e uma granada.

Após consultarem os sistemas de segurança pública, constataram que um dos indivíduos era foragido da Justiça. Ele seria o responsável por uma milícia que atua em comunidades da Zona Oeste. O homem estaria fugindo de Santa Cruz, porque é suspeito de envolvimento na morte do policial federal Ronaldo Heeren, ocorrido na última quinta-feira (13/02/2020), na comunidade do Rola.

Relembre o caso

O policial federal foi atingido dentro de uma viatura descaracterizada. Ronaldo morreu no local. O outro agente que estava com ele no veículo conseguiu fugir e se escondeu em uma casa na comunidade. Ele foi encontrado por policiais militares em estado de choque.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »