24/04/2020 às 21h08min - Atualizada em 24/04/2020 às 21h08min

Imprensa internacional repercute saída de Moro do governo Bolsonaro

Veículos estrangeiros se referem a Moro como 'estrela' do governo e 'símbolo da Lava Jato'. Portal G1 - 24/04/2020 - 14:59:07

Estadão Conteúdo.

Portal G1 - 24/04/2020 - 14:59:07

 

 

A imprensa internacional noticiou a demissão do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, assim que ela foi anunciada pelo ex-juiz federal nesta sexta-feira (24). Moro deixa a pasta após um ano e quatro meses no primeiro escalão do governo do presidente Jair Bolsonaro.

 

A demissão foi motivada pela decisão de Bolsonaro de trocar o diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, indicado para o posto pelo agora ex-ministro. A Polícia Federal é vinculada à pasta da Justiça.

 

 

 

'The Guardian', Reino Unido

 

 

Jornal britânico ‘The Guardian’ se referiu a Sérgio Moro como ‘estrela’ ao fazer o anúncio da sua saída do governo de Jair Bolsonaro — Foto: Reprodução G1

Jornal britânico ‘The Guardian’ se referiu a Sérgio Moro como ‘estrela’ ao fazer o anúncio da sua saída do governo de Jair Bolsonaro — Foto: Reprodução G1

 

Jornal britânico ‘The Guardian’ se referiu a Sérgio Moro como ‘estrela’ ao fazer o anúncio da sua saída do governo de Jair Bolsonaro — Foto: Reprodução G1

 

O britânico “The Guardian” se referiu a Moro como “estrela” do governo de Bolsonaro e avaliou que sua queda enfraquece o presidente brasileiro.

 

Para o jornal, a saída de “uma das mais populares figuras da administração da extrema direita de Jair Bolsonaro” cria um conflito político potencialmente importante em um momento em que o país tenta conter a pandemia do coronavírus.

 

 

 

'The New York Times', Estado Unidos

 

 

New York Times (EUA): Governo brasileiro tumultuado após Bolsonaro exonerar chefe de polícia e ministro da Justiça renunciar ao cargo — Foto: Reprodução/New York Times

New York Times (EUA): Governo brasileiro tumultuado após Bolsonaro exonerar chefe de polícia e ministro da Justiça renunciar ao cargo — Foto: Reprodução/New York Times

 

New York Times (EUA): Governo brasileiro tumultuado após Bolsonaro exonerar chefe de polícia e ministro da Justiça renunciar ao cargo — Foto: Reprodução/New York Times

 

O principal jornal norte-americano disse que a saída do ministro acontece em meio a um governo tumultuado. O 'NY Times' diz ainda que Moro sai do cargo como um protesto por conta da exoneração do diretor da Polícia Federal e destacou o pedido do agora ex-ministro para que o presidente Jair Bolsonaro reconsiderasse a decisão.

 

 

 

'Diário de Notícias', Portugal

Diário de Notícias (Portugal): "Autonomia é essencial". Moso acusa Bolsonaro de interferência política e demiti-se — Foto: Reprodução/Diário de Notícias

 

O jornal português destacou a fala de Moro sobre interferência de Bolsonaro na autonomia da PF, um dos motivos para a demissão. Além disso, o "DN" destacou que após o anúncio, houve panelaços em diversos pontos do Brasil.

 

 

 

Clarín (Argentina): Ministro Sérgio Moro renunciou, em um enfrentamento com Jair Bolsonaro. — Foto: Reprodução/Clarín

Clarín (Argentina): Ministro Sérgio Moro renunciou, em um enfrentamento com Jair Bolsonaro. — Foto: Reprodução/Clarín

 

Clarín (Argentina): Ministro Sérgio Moro renunciou, em um enfrentamento com Jair Bolsonaro. — Foto: Reprodução/Clarín

 

O jornal argentino chamou Moro de "símbolo da Lava Jato" e deu destaque à exoneração do diretor da Polícia Federal, Mauricio Valeixo como uma das principais motivações para sua saída do Ministério. O diário ainda citou que Moro acusou o governo Bolsonaro de mentiroso ao publicar a exoneração do ex-diretor como um pedido dele próprio.

 

Der Spiegel (Alemanha): Ministro da Justiça brasileiro Moro deixa o cargo — Foto: Reprodução/Der Spiegel

Der Spiegel (Alemanha): Ministro da Justiça brasileiro Moro deixa o cargo — Foto: Reprodução/Der Spiegel

 

Der Spiegel (Alemanha): Ministro da Justiça brasileiro Moro deixa o cargo — Foto: Reprodução/Der Spiegel

 

site da revista alemã cita que a saída de Moro é a segunda saída de ministro do gabinete de Bolsonaro em curto espaço de tempo, já que recentemente houve a demissão do ministro da Saúde Henrique Mandetta. A revista observa ainda que a gestão "relaxada" de Bolsonaro não é alvo de polêmica apenas dentro do governo, já que uma parte dos próprios apoiadores do presidente recentemente se manifestaram pedindo intervenção militar.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »