08/08/2020 às 06h20min - Atualizada em 08/08/2020 às 06h20min

Ozônio pelo ânus como tratamento contra Covid-19 “pegou mal”, diz Bolsonaro

Prefeito de Itajaí (SC), Volnei Morastoni (MDB), sugeriu aplicação de ozônio por via retal como medida contra a doença

FOTO: O prefeito Volnei Morastoni (MDB), de Itajaí. Conhecido agora como o prefeito "CUVID"

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta sexta-feira (7/8) que “pegou mal” a declaração do prefeito de Itajaí (SC), Volnei Morastoni (MDB), que sugeriu a aplicação de ozônio por via retal como medida contra a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Durante conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada, um simpatizante cumprimentou o presidente e disse que era de Santa Catarina, ao que Bolsonaro disse, em tom de brincadeira: “Tá mal Santa Catarina, hein? Pegou mal aquele negócio lá, hein?”. Aos risos, o apoiador respondeu: “Mas só em Itajaí…”.

Nesta semana, o prefeito Morastoni afirmou ter inscrito a cidade de Itajaí na Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) para oferecer a administração, pelo ânus, de ozônio.

Segundo o prefeito, que gravou um vídeo que viralizou nas redes sociais, esta é uma forma efetiva de se conter o avanço da doença. Embora não haja eficácia comprovada, Morastoni informou que oferece o tratamento para pacientes infectados em hospitais de Itajaí.

Ministério da Saúde

Também nesta semana, o ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, recebeu defensores do uso do ozônio como forma de tratamento para a Covid-19.

O encontro com o ministro foi intermediado pelo deputado Giovani Cherini (PL-RS) e o motivo era discutir as ações de saúde no Rio Grande do Sul e o tema fez parte da conversa. O grupo era liderado pela médica Maria Emília Gadelha Serra. Em fotos nas redes sociais, ela destacou o assunto tratado: “Ozonioterapia na Saúde!”.

Após o encontro, o Ministério da Saúde informou, por meio da assessoria, que o efeito da ozonioterapia em humanos infectados pelo novo coronavírus ainda é desconhecido e não deve ser recomendado como prática clínica ou fora do contexto de estudos clínicos. A pasta se baseou em uma nota técnica publicada em abril deste ano.

Prática experimental

A não recomendação por parte do ministério está de acordo com o Conselho Federal de Medicina (CFM), que também desaconselha o uso laboratorial da ozonioterapia.

Especialistas alertam que a modalidade é uma prática experimental, permitida somente em estudos que sigam critérios definidos e acompanhem a evolução dos pacientes.

RELEMBRE O CASO.
Prefeito sugere tratar Covid-19 com aplicação de ozônio pelo ânus
Novidade seria oferecida apenas para casos confirmados e "a quem desejar", segundo Volnei Morastoni
 

O prefeito do município de Itajaí, no interior catarinense, Volnei Morastoni (MDB), anunciou nesta terça-feira (4/8) ter inscrito a cidade na Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) para oferecer uma nova opção de tratamento para a população contra a Covid-19: a administração, pelo ânus, de ozônio. A novidade seria oferecida apenas a pessoas com resultado confirmado para o novo coronavírus.

“Provavelmente, vai ser uma aplicação via retal, uma aplicação ‘tranquilíssima’, ‘rapidíssima’, de dois minutos, num cateter fininho e isso dá um resultado excelente”, afirmou o prefeito.
 
Morastoni, que é médico, informou que provavelmente seriam aplicadas 10 sessões da admissão de ozônio e que o tratamento seria oferecido somente “a quem desejar”.
Atualmente, a prefeitura distribui ivermectina à população. O tratamento via retal com ozônio seria um complemento das opções já oferecidas pela administração que inclui, além do vermífugo, a azitromicina e cânfora.

OBS: A FOTO ILUSTRAÇÃO É DO GOOGLE.
                                                
 


 

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »