06/09/2020 às 15h06min - Atualizada em 06/09/2020 às 15h06min

A SUPREMA CORTE E A SOBERANIA DA AMAZÔNIA

MAJOR - BRIGADEIRO JAIME RODRIGUES SANCHEZ
​MAJOR-BRIGADEIRO JAIME RODRIGUES SANCHEZ.

MANIFESTO DO GRUPO “504 GUARDIÕES DA NAÇÃO”

Já somos 2.545 patriotas, civis e militares, homens e mulheres de todos os recantos do Brasil.Vamos aumentar nossa representatividade e atuação. O futuro do País depende de nós.
Se você deseja ser um “GUARDIÃO DA NAÇÃO”, envie nome completo e profissão para o e-mail jsanchez6564@hotmail.com.
A que ponto chegou o autoritarismo do judiciário!
Em mais uma decisão estapafúrdia, como muitas que emanam da atual Suprema Corte, a ministra Cármen Lúciadeu cinco dias para o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Defesa prestarem esclarecimentos sobre o emprego das Forças Armadas em ações na fronteira, terras indígenas e unidades federais de conservação ambiental nos Estados da Amazônia Legal, mais uma vez curvando-se ou compactuando com a estratégia do revezamentona obstrução da justiça, perpetrada pelos“puxadinhos” do PT e entidades aparelhadas, viúvas da esquerda derrotada, que visam dois objetivos: desestabilizar o governo e entulhar a pauta da Suprema Corte para evitar o julgamento dos criminosos detentores de foro privilegiado.
O Partido Verde declarou estar preocupado com o que eles chamam de “militarização da Amazônia”mas,na verdade,estão a serviço e financiados por agências e governos estrangeiros que almejam a internacionalização da Região.
Seguramente, se Vossa Excelência tivesse alguma noção do significado de Soberania Nacional e acompanhasse minimamente a geopolítica em torno da importância da Amazônia e a cobiça internacional na região, teria reagido de forma categórica aos impulsos desse partido que se diz verde, mas cuja essência é vermelha, que utiliza a última instância jurídica do Brasil como um site inútil tipo “reclame aqui”.
Provavelmente, a única vez que Vossa Excelência visitou aAmazônia, deve ter sido para hospedar-se no hotel Tropical, voando de 1ª classe nas asa da VARIG, quem sabe até utilizando cota de passagens aéreas.
Perguntadaseconhece a “Cabeça do Cachorro”, a senhora iria responder com outra pergunta: qual é a raça?
Se a Suprema Corte necessitade informações sobre a atuação das FFAA naAmazônia -e não deveria se fosse uma instituição séria -não precisa desperdiçar o precioso tempo do Presidente da República ou do Ministro da Defesa que, ao contrário dessa Casa, trabalham arduamente durante todo o ano, com férias de 30 dias.
Sugiro que consulte as tribos indígenas, não ao “Cacique” Raoni, e as populações ribeirinhas.
Só para constar, porque a sociedade já conhece e vocês ignoram.
  • Segundo a última pesquisa disponível no IBGE, existiam, na época, 15.919 ONGna Amazônia.
  • O Brasil possui mais de  1 milhão e 117 mil km quadrados para 700 mil pessoas vivendo nas terras demarcadas, enquanto 125 milhões de japoneses vivem numa área três vezes menor, onde mais da metade do território é floresta.
  • O Sínodo dos Bispos para a Pan-amazônia, patrocinada pelo Vaticano, plantoualgumas sementes venenosas:na primeira parte, A voz da Amazônia, que tem como subtítulo “Vida ameaçada, ameaça integral”, afirmou também que “a vida na Amazônia está ameaçada pela destruição e exploração ambiental, pela violação sistemática dos direitos humanos elementares de sua população e o direito ao território, à autodeterminação, à demarcação dos territórios e à consulta e ao consentimento prévios”.E sacramenta: “a Amazônia constitui uma formosura ferida e deformada, um lugar de dor e violência, como o indicam de maneira eloquente os relatórios das Igrejas locais recebidos pela Secretaria Geral do Sínodo”. 
  • Estudo conjunto da NASA e do Serviço Geológico dos Estados Unidos fez amplo levantamento, baseados em monitoramento por satélites,  demonstrando que “o Brasil protege e preserva a vegetação nativa em mais de 66% de seu território e cultiva apenas 7,6% das terras, enquanto a Índia cultiva 65%, a União Europeia entre 45 e 65%, os Estados Unidos 18,3% e a China 17,7%”.
A presença das FFAA na Região é essencial para o exercício da soberania nacional, através da preservação, desenvolvimento e exploração sustentável, PELO BRASIL, das riquezas naturais existentes no subsolo da região, boa parte delas sob território demarcado para indígenas ou quilombolas;da valorização da diversidade sociocultural e ambiental; do combate ao desmatamento ilegal; da ampliação e aprimoramento da infraestrutura; e, principalmente, controle e apoio ao cidadão, através da presença do Estado.
Existem mais de vinte mil homens e mulheres dos efetivos do Exército, da Marinha e da Aeronáutica, servindo permanentemente em mais de uma centena de organizações militares na Amazônia, além das milhares de missões subsidiárias cumpridas anualmente pelas três forças, de forma eventual ou programada, em proveito daquela região.
Essas informações da NASA levantam graves suspeitas quando confrontadas com o noticiário explorado pela mídia desmamada.
Senhores ministros. Parem de testar a leniência da sociedade e comecem a fazer o ela lhes paga regiamente para executar: honrar a Constituição, defender os interesses dos cidadãos e trabalhar de verdade para combater a corrupção no âmbito daqueles que detêm o foro privilegiado. Sejam um pouco mais patriotas! Esqueçam seus Senhores e pensem realmente no Brasil.
BRASIL ACIMA DE TUDO, DEUS ACIMA DE TODOS.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »