23/10/2020 às 08h54min - Atualizada em 23/10/2020 às 08h54min

Casal é preso por matar dono de bar no DF; vítima foi confundida com estelionatário, diz delegado

Alan Bomfim Serpa, de 29 anos, foi baleado na cabeça. Crime ocorreu em Santa Maria; homem confessou assassinato e mulher dirigiu carro usado em fuga.

G 1
A Polícia Civil prendeu nesta terça-feira (20), um homem que confessou ter assassinado o dono de um bar, em Santa Maria, no Distrito Federal, em setembro. Ele foi preso junto com a esposa, que dirigiu o carro durante fuga, após o crime.

A vítima, Alan Bomfim Serpa, de 29 anos, foi baleado na cabeça após ser confundido com um estelionatário, segundo a corporação. De acordo com o delegado Bruno Rigo Linhares, da 33ª Delegacia de Polícia, de Santa Maria, o assassino caiu em um golpe após pagar R$ 10 mil por uma moto divulgada por um site de vendas independentes, em um anúncio falso.

A publicação fraudada usava o veículo de Alan Bomfim. Segundo a polícia, Alan colocou uma moto à venda em um site, mas o post original foi "clonado" por um estelionatário, que usou um preço abaixo do mercado e outro telefone.

Durante a negociação da venda fraudulenta, o estelionatário passou ao comprador o endereço do bar, onde a moto estaria. Para enganá-lo, mentiu afirmando que Alan seria seu irmão, e não o dono da moto.

Na intenção de mostrar a moto antes de receber o pagamento, o estelionatário também entrou em contato com Alan, e se passou por comprador da moto para marcar o encontro. "Quando ele [o assassino] foi ver a moto, Alan achava que ele era um representante [do comprador]. E o homicida achou que Alan era o irmão do dono da moto", explica o delegado.

Cobrança e morte

 

Bombeiros tentam reanimar dono de bar, que levou tiro na cabeça, em frente ao próprio estabelecimento no DF — Foto: CBMDF/Divulgação

Bombeiros tentam reanimar dono de bar, que levou tiro na cabeça, em frente ao próprio estabelecimento no DF — Foto: CBMDF/Divulgação

Bombeiros tentam reanimar dono de bar, que levou tiro na cabeça, em frente ao próprio estabelecimento no DF — Foto: CBMDF/Divulgação
 

Ainda de acordo com o delegado Bruno Rigo Linhares, o assassino não percebeu que as informações eram falsas. Após ver a moto, depositou o valor de R$ 10 mil, no mesmo dia, na conta do estelionatário. O assassinato ocorreu quando ele foi buscar o veículo.

"Como Alan não tinha recebido nenhum valor, ele se recusou a entregar a moto", disse o delegado.

Alegando que Alan foi quem deu o golpe, o homem atirou nele. Aos policiais, ele afirma que também uma vítima.

A mulher do assassino afirmou em depoimento que estava dirigindo o carro sem saber da intenção do esposo de matar o empresário. Os dois serão indiciados por homicídio qualificado.

O assassino já tem passagem pela polícia por matar outra pessoa. Ele chegou a ser condenado a 12 anos de reclusão, mas respondia em liberdade.

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »