26/08/2021 às 13h14min - Atualizada em 26/08/2021 às 13h14min

“Tentou matar a nossa filha”, diz pai de advogada atropelada no DF

Pais contaram ao Metrópoles que chegaram ao local pouco tempo depois de Tatiana Matsunaga ser atropelada: "Muita raiva"

Os pais da advogada e servidora da Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento do Distrito Federal (Adasa) Tatiana Machado Matsunaga,
 
A mãe de Tatiana, Maria Celeste Machado, afirmou que o maior desejo neste momento é que a filha sobreviva ao atropelamento. “Quero a minha filha viva e com saúde. Mais nada”, clamou a mãe muito abalada.
 
O casal contou para a reportagem como tudo aconteceu. “Nós soubemos da notícia quando o meu genro ligou e disse que a Tatiana tinha sido atropelada na porta de casa. Nós corremos para o local e ainda a encontramos recebendo atendimento dos socorristas. Ela estava no chão. Muito triste”, contou o pai.
 
Tatiana é mãe de duas crianças, de 8 e 3 anos. O filho mais velho estava no carro com a mãe no momento do desentendimento com o motorista do veículo que a atropelou e também relatou aos avós tudo o que ele testemunhou dentro do carro com a mãe.
 
A criança de 8 anos comentou que o motorista do carro teria fechado a mãe no trânsito, ela ultrapassou o carro de Paulo. “Foi um troca-troca de posição. Dedo para cá e para lá e ele seguiu ela.”
 
“Essa pessoa tentou matar a nossa filha. Felizmente não conseguiu. Essa foi a intenção dele. Inicialmente pensei que fosse algo sem gravidade. Quando chegamos ao local e vimos ela sangrando, a ficha caiu que era muito sério”, acrescentou Luiz Sérgio.
 
Sobre o quadro de saúde da filha, os pais dizem que ela teve uma queda da pressão arterial durante a noite dessa quarta-feira (25/8), atingiu a marca de 8,6. Ela foi medicada e a situação ficou estabilizada. “Ela deve passar por novos exames nesta manhã. O que sabemos é que o estado é grave. Teve traumatismo craniano, quebrou a bacia e o tornozelo. A minha filha já foi submetida a duas cirurgias. O médico só conseguirá dar um parecer depois de 72 horas. Teve que tirar um pedaço do crânio para diminuir a pressão. Pode ter sequelas. A Tatiana está lutando para viver”, explicou aflita a mãe de Tatiana.
 
Veja o vídeo do atropelamento:
Maria Celeste classificou a filha como uma pessoa boa, preocupada com os outros, com as causas animais, uma mulher jovem cheia de vida e muito ativa.
 
O motorista acabou preso em flagrante após atropelar Tatiana. Paulo Ricardo passa por audiência de custódia ainda nesta quinta.
 
“Infelizmente, pela Justiça que nós temos, ele vai passar como bom moço. A intenção dele era muito clara. Ele tinha o objetivo de matar ela. Esperamos que ele fique preso. Se a Justiça soltá-lo, ele vai achar que pode fazer com quantas pessoas forem. É preciso parar essa pessoa que não sabe viver em sociedade. Nada justifica o que ele fez. Seguiu ela até a porta de casa”, finalizou a mãe.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Oportunidade_de_emprego