27/08/2021 às 06h58min - Atualizada em 27/08/2021 às 06h58min

Sérgio Reis depõe à PF, baixa tom sobre STF e nega ser antidemocrático

Cantor minimizou aúdio em que ameaça ministros do Supremo: “Pensei que não teria essa repercussão, que não ia vazar isso aí”

Após a polêmica do áudio em que ataca ministros do Supremo Tribunal Feeral (STF), o cantor Sérgio Reis mudou o tom e negou integrar um movimento antidemocrático contras as instituições a ir às ruas no próximo dia 7 de setembro. Em depoimento prestado à Polícia Federal nessa quarta-feira (25/8), ele lamentou a repercussão de suas declarações. “Pensei que não teria essa repercussão, que não ia vazar isso aí”, disse. As informações são de O Globo.
 
 
O cantor chegou a citar que conhece pessoalmente o ministro Luís Roberto Barroso, do STF, e que não tinha o objetivo de insultá-lo. Procurado para comentar, o advogado Marcos Montemor afirmou que não poderia se manifestar, porque a investigação tramita sob sigilo.
 
No áudio, que circulou em redes sociais, o cantor chega a dizer que se o Senado não decidisse sobre o impeachment de ministros do STF eles iriam “invadir, quebrar tudo e tirar os caras na marra”.
 
Amigos veem Sérgio Reis “jogado na fogueira” por bolsonaristas
Anteriormente, em entrevista à Record TV, o cantor já havia dito: “Eu errei, quero pedir desculpas, até ao Supremo. Eu sou uma pessoa que só pensa bem dos outros. E agora estão querendo acabar comigo como se eu fosse bandido. Eu não sou bandido”.
 
Amigo da onça
 
 
Ainda disse que o comentário foi feito a um amigo, e que não deveria ter vazado.
 
 
“O amigo da onça, conhece? Hoje em dia, ninguém mais está sigiloso. Você fala qualquer coisa, já sai na internet, já sai para lá e vaza, vai para grupos e tudo mais”, afirmou.
 
Depois disso, o cantor passou mal e foi internado no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo.
 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Oportunidade_de_emprego