28/08/2021 às 07h45min - Atualizada em 28/08/2021 às 07h45min

Zé Trovão chama para 7/9: “Ponho minha liberdade em vossas mãos”. Veja

Caminhoneiro bolsonarista reclama de estar sob censura e avisa aos aliados que pode ser preso depois de exibir novas mensagens nas redes

Proibido de se aproximar da Praça dos Três Poderes, em Brasília, dos ministros do Supemo Tribunal Federal (STF) e de senadores da República, o caminhoneiro Zé Trovão voltou a se manifestar, pelas redes sociais, para convocar os apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) à manifestação programada para o dia 7 de setembro.
 
 
“Já estava com saudade de dizer ‘Zé Trovão por cá”, diz o bolsonarista. “Continuo censurado, ao espreito de poder ser preso após esse vídeo, mas não me importo. O que mais me dá gás é saber qie o Brasil será salvo no dia 7 de setembro”, ressalta, em vídeo.
 
Após falar que todos têm que entender da necessidade de irem a Brasília, reclamar da “cemsura” feita bo Brasil, atacar o ex-presidente Lula – “cidadão escroto” – e revelar que está longe de casa para “proteger” a família, ele apelou: “Se fortaleça, crie coragem, porque agora eu estou entregando minha liberdade em vossas mãos”.
 
 
Ataques às instituições
O caminhoneiro teve o celular apreendido por determinação do o ministro do STF Alexandre de Moraes, em uma operação que também mirou os cantores Sérgio Reis e Eduardo Araújo, o deputado Otoni de Paula (PSC-RJ) e Antonio Galvan, presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja).
 
Brasil
Além de Sérgio Reis, PF investiga Eduardo Araújo, Zé Trovão e ruralista
A operação consistiu no cumprimento de 13 mandados de busca e apreensão contra os suspeitos de organizarem um ato, no Dia da Independência, com ataques a instituições.
 
 “Nós não vamos baixar a cabeça. Sete de setembro cada dia maior”, disse o caminhoneiro em live, ao lado do também caminhoneiro e alvo da operação Turíbio Torres. “Vamos colocar dois milhões acampados em Brasília”, convocou.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Oportunidade_de_emprego