01/12/2018 às 08h36min - Atualizada em 01/12/2018 às 08h36min

Conheça quem comandará as principais delegacias do DF a partir de 2019

O governador eleito do Distrito Federal realizou 13 mudanças de comando em unidades especializadas da corporação. Ontem, ele anunciou o chefe da coordenação responsável pelas três divisões que conduziram as maiores operações dos últimos anos

Correioweb

Com a troca de governo, o alto escalão da Polícia Civil ganha nova configuração. Na transição, o futuro chefe do Palácio do Buriti, Ibaneis Rocha (MDB), anunciou 13 mudanças em comandos dos núcleos da corporação — a última delas, ontem. Adjunto na Coordenação de Repressão às Drogas, Leonardo de Castro assumirá, em 1º de janeiro, a chefia da Coordenação Especial de Combate à Corrupção, ao Crime Organizado e aos Crimes contra a Administração Pública (Cecor), responsável pelas delegacias que conduziram as maiores operações da capital nos últimos quatro anos, como a Panoptes, que desmontou a Máfia dos Concursos; a Monopólio, que investigou denúncias de corrupção em administrações reginais; e a Trickster, que apurou fraude em bilhetagem eletrônica.
 
 
 
Na corporação há 12 anos, Leonardo atuou na Coordenação de Repressão a Roubos e na de Repressão às Drogas (Cord). O futuro delegado-chefe da Cecor é próximo ao diretor-geral da Polícia Civil escolhido por Ibaneis para atuar a partir de 2019, Robson Cândido. “Vamos fazer um bom trabalho. A escolha é recente e ainda não deu para fazer planos. Mas vamos empregar a experiência que a gente tem trabalhando lá”, disse.
O delegado-chefe da Cecor, Fernando César Costa, seguirá para a coordenação do núcleo de Repressão a Homicídios, que cuida da solução de crimes complexos. Ele está no atual cargo desde janeiro, data da criação da unidade. Apesar da alteração em uma das áreas mais sensíveis da Polícia Civil, os comandos das chefias das três divisões —  Repressão aos Crimes contra a Administração Pública (Decap); Repressão ao Crime Organizado (Deco); e Repressão aos Crimes contra a Ordem Tributária (Dicot) — seguem indefinidos.


Influência

O Sindicato dos Delegados de Polícia Civil do DF (Sindepo) terá força na nova configuração da Polícia Civil. Da eleição feita para a lista tríplice para a direção, saíram quatro nomes que integrarão o comando da corporação no governo Ibaneis. Além de ter respeitado a escolha de Robson Cândido para o cargo máximo da instituição, o futuro governo terá Benito Tiezzi, segundo colocado e ex-presidente da entidade; Anderson Espíndola, quarto; e Victor Dan, sétimo, em funções de chefia.
 
A escolha dos dois cargos mais altos da corporação — diretor-geral e adjunto —  demonstra o prestígio dado por Ibaneis ao sindicato. Robson Cândido e Benito Tiezzi eram os candidatos preferidos da atual direção da entidade. O presidente do Sindepo, Rafael Sampaio, faz parte do grupo que planeja a configuração do GSI, responsável pela segurança do governador e de toda a equipe, e deve deixar a direção para assumir um cargo no órgão.
 
Mas a influência da Polícia Civil no governo Ibaneis deve ir além dos limites da corporação. Agente aposentado da Polícia Civil e ex-presidente o Sindicato dos Policiais Civis do DF (Sinpol), o distrital Wellington Luiz (MDB) será o presidente da Companhia do Metropolitano do DF (Metrô-DF). A ele, caberá a missão de tocar projetos prometidos por Ibaneis na campanha e no programa de governo, como a expansão do metrô para a Asa Norte e a modernização do sistema.
 

Compromisso

Derrotado nas urnas, o deputado federal e ex-policial civil Laerte Bessa (PR), que, apesar da coligação do próprio partido à chapa de Alberto Fraga (DEM), declarou apoio a Ibaneis desde o primeiro turno, ficará à frente do GSI. O órgão inexiste no Executivo local hoje. “A minha perspectiva é de anunciar a estrutura até o próximo fim de semana. O GSI terá bombeiros e policiais militares e civis trabalhando de forma integrada. Buscaremos trazer policiais da reserva que tenham experiência na área de segurança dignitária”, adiantou.
 
Apesar das trocas, Ibaneis também manteve nomes na estrutura da corporação. Jeferson Lisboa permanecerá como diretor do Departamento de Polícia Circunscricional (DPC), chefe das 34 delegacias de atendimento nas cidades. Lisboa chegou a ser cotado para a direção-geral da Polícia Civil, mas não disputou a lista tríplice e apoiou Robson Cândido. Uma das prioridades do DPC será abrir as delegacias 24 horas, compromisso de campanha de Ibaneis Rocha. Silvério Moita, aliado de longa data do deputado federal Laerte Bessa, continuará à frente do Departamento de Administração Geral (DAG).


Nova composição

 
» Anderson Espíndola
Função atual: subsecretário do Sistema Penitenciário
Cargo na gestão Ibaneis: corregedor-geral
 
» Benito Tiezzi
Função atual: diretor financeiro do Sindicato dos Delegados de Polícia Civil do DF (Sindepo)
Cargo na gestão Ibaneis: diretor adjunto
 
» Emerson Souza
Continua depois da publicidade
Função atual: perito do Instituto de Criminalística (IC)
Cargo na gestão Ibaneis: diretor do Instituto de Criminalística (IC)
 
» Fernando César Lima
Função atual: delegado lotado na 29ª DP (Riacho Fundo)
Cargo na gestão Ibaneis: chefe do Departamento de Gestão de Pessoas
 
» Gláucia Silva
Função atual: titular da Delegacia Especial de Repressão aos Crimes por Discriminação Racial, Religiosa ou por Orientação Sexual ou Contra a Pessoa Idosa ou com Deficiência (Decrin)
Cargo na gestão Ibaneis: diretora da Academia de Polícia Civil
 
» Jeferson Lisboa
Função atual: chefe do Departamento de Polícia Circunscricional (DPC)
Cargo na gestão Ibaneis: seguirá na mesma função
 
» Laerte Bessa (PR) 
Função atual: deputado federal
Cargo na gestão Ibaneis: chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI)
 
» Leonardo de Castro
Função atual: adjunto na Coordenação de Repressão às Drogas
Cargo na gestão Ibaneis: delegado-chefe da Coordenação Especial de Combate à Corrupção, ao Crime Organizado e aos Crimes contra a Administração 
Pública (Cecor)
 
» Márcia Cristina
Função atual: chefe do laboratório de Toxicologia do IML
Cargo na gestão Ibaneis: diretora do Instituto de Medicina Legal (IML)
 
» Raimundo Cleverlande Alves de Melo
Função atual: diretor do Instituto de Criminalística (IC)
Cargo na gestão atual: diretor do Departamento de Polícia Técnica
 
» Robson Cândido
Função atual: delegado-chefe da 11ª DP (Núcleo Bandeirante)
Cargo na gestão Ibaneis: diretor-geral
 
» Silvério Antônio Moita de Andrade
Função atual: diretor de Administração Geral (DAG)
Cargo na gestão Ibaneis: seguirá na mesma função
 
» Simão Pedro
Função atual: papiloscopista do Instituto de Identificação (II)
Cargo na gestão Ibaneis: diretor do II
 
» Victor Dan
Função atual: delegado-chefe da 23ª DP (P Sul)
Cargo na gestão Ibaneis: diretor do Departamento de Polícia Especializada (DPE)
 
» Wellerson Gontijo
Função atual: chefe da Segurança do Tribunal de Contas do DF
Cargo na gestão Ibaneis: diretor do Departamento de Inteligência e Gestão da Informação

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »