25/01/2019 às 06h36min - Atualizada em 25/01/2019 às 06h36min

Bomba do PT com caças da FAB pode estourar no colo de Bolsonaro

Notibras

Nelson Jobim, ex-ministro da Defesa, está certo. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não recebeu nenhuma vantagem, direta ou indiretamente, nas negociações para a compra de aviões de guerra destinados a reforçar a Força Aérea Brasileira.

As suspeitas sobre mais uma denúncia contra Lula circularam nesta quinta, 24, em Brasília, fruto do depoimento que Antônio Palocci, ex-ministro do próprio Lula e de Dilma Roussef, prestará em março ao juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal.

A pauta do depoimento serão os 36 caças Gripen negociados com a Saab, da Suécia. O negócio envolveu algo em torno de 22 bilhões de reais. A ideia de adquirir novos aviões para a FAB teve início no governo Lula. Mas o ex-presidente preferia os Rafalle, produzidos na França. Coube a Dilma bater o martelo com os suecos.

Os negócios com armas são segredo de Estado para qualquer país. Não é diferente no Brasil. Sabe-se, porém, que nenhum dos 36 Gripen ainda foi entregue. E é guardada a quatro chaves toda informação acerca de como vem sendo feito o pagamento – se é que já foi liquidada alguma fatura.

Oficiais-generais que hoje ocupam elevados cargos no governo de Jair Bolsonaro tiveram influência direta na decisão da ex-presidente Dilma Roussef. Orbitam nas imediações da Praça dos Três Poderes como quem voa alto em ‘Céu de Brigadeiro’.

É justamente pelo novo quadro de colaboradores de Bolsonaro que o próximo depoimento-bomba de Palocci pode espalhar estilhaços na direção do Palácio do Planalto. Se o ex-ministro citar ao juiz Vallisney outros nomes que não sejam os de Lula e Dilma, o petardo vai estourar no colo do atual presidente e de influentes bancas de advocacia que atuam em Brasília.

Em síntese, conforme comentou um militar que coleciona lupas em Brasília, a nova delação de Palocci pode trazer luz ou trevas sobre as negociações. Foram bem ou mal conduzidas? Houve ou não ganhos indevidos? Só após a fala do ex-ministro será possível saber se a munição que vem desse voo será apenas uma simulação ou bomba de efeitos inimagináveis. E se, acionado o gatilho, serão atingidas todas as esferas que influenciaram na compra dos Gripen.

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Oportunidade_de_emprego