24/02/2019 às 19h58min - Atualizada em 24/02/2019 às 19h58min

PM é presa por deixar entrar cerveja onde Pezão está detido

Responsável pelo flagrante, a direção da unidade apreendeu latas de cerveja, garrafas de vinho, facas, espetos, carvão e até churrasqueira

METRÓPOLES

Uma policial militar do Rio de Janeiro foi presa na manhã desse sábado (23/2), acusada de permitir a entrada de material para churrasco no Batalhão Especial Prisional (BEP) da Polícia Militar do Rio de Janeiro, onde se encontra detido o ex-governador do estado Luiz Fernando Pezão (MDB).

Responsável pelo flagrante, a direção da unidade apreendeu latas de cerveja, garrafas de vinho, facas, espetos, carvão e até churrasqueira escondidos em latões de lixo no estacionamento. Presos responsáveis pela faxina iriam colocar os produtos para dentro do presídio militar. As informações são do jornal Extra.

De acordo com o veículo carioca, a assessoria de imprensa da Secretaria da Polícia Militar informou que o corregedor e o comandante do BEP “tomaram as medidas cabíveis para prisão em flagrante da policial militar e de pelo menos mais dois acautelados que estavam envolvidos” no caso.

Operação Boca de Lobo
Pezão está preso desde o dia 29 de novembro de 2018, quando foi deflagrada a Operação Boca de Lobo. O ex-governador do Rio é apontado como líder de organização criminosa e responsável por manter o esquema de recebimento de propina que vigorou no governo de seu antecessor, Sérgio Cabral, preso há dois anos. As investigações em torno de Pezão foram iniciadas com a delação premiada do operador financeiro Carlos Miranda.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Oportunidade_de_emprego