03/05/2019 às 06h10min - Atualizada em 03/05/2019 às 06h10min

Polícia prende duas pessoas por fraudar Cartão Material Escolar no DF

Operação identificou desvio de finalidade em papelaria de Santa Maria. Beneficiária e dono da loja foram autuados e detidos

Policiais da Coordenação de Repressão a Crimes contra o Consumidor, a Propriedade Imaterial e a Fraudes (Corf) prenderam duas pessoas por desvios e uso irregular do Cartão Material Escolar no Distrito Federal. Durante operação realizada nesta quinta-feira (02/05/2019), os agentes flagraram, em Santa Maria, uma beneficiária de 32 anos usando os R$ 640 do auxílio para comprar produtos não permitidos, como cestas de roupa.

Tanto a mulher, usuária do cartão, como o proprietário do estabelecimento comercial foram autuados em flagrante e levados à Penitenciária Feminina do Distrito Federal e à carceragem do Departamento de Polícia Especializada (DPE), respectivamente.

As prisões ocorrem no mesmo dia em que o governador, Ibaneis Rocha (MDB), determinou a investigação sobre fraudes, desvios e uso irregular do Cartão Material Escolar, benefício disponibilizado com dinheiro público para a população carente. Os recursos públicos são destinados a 69 mil alunos inscritos no Programa Bolsa Família.
 

Indignação
No início da tarde desta quinta, Ibaneis Rocha utilizou as redes sociais para criticar quem tenta usar o benefício irregularmente. A postagem do governador mostra o anúncio de uma pessoa que tenta vender crédito do cartão.

“Alguém se interessa em comprar crédito do Cartão Material Escolar? O meu veio R$ 1.060. Não consegui gastar tudo e só tem 45 dias para usar”, diz o post.

Ao Metrópoles, Ibaneis informou a abertura de investigação e disse que não vai permitir nenhum tipo de fraude ou desvio no programa. “Vamos coibir com muita força. A população queria muito esse programa, as regras não podem ser desvirtuadas”, enfatizou.

Sobre o caso específico, o governador afirmou ter encaminhado denúncia à Polícia Civil para apuração. “Não sei quem é essa pessoa, mas vamos procurar de onde partiu”, completou.

O diretor-geral da PCDF, Robson Cândido, também falou sobre a denúncia. “Assim que recebemos a demanda, abrimos a investigação imediatamente, e o resultado veio rapidamente, com as duas prisões em flagrante. Não vamos deixar que o programa seja desvirtuado”, advertiu.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »