20/05/2019 às 18h42min - Atualizada em 20/05/2019 às 18h42min

PCDF prende bando que roubava carros e trocava por drogas no Paraguai

Os suspeitos conduziam três veículos roubados. Um criminoso foi preso ainda em território nacional, outros dois chegaram ao país vizinho

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) desarticulou uma organização criminosa especializada no roubo de veículos, que eram trocados por drogas no Paraguai. Três integrantes da quadrilha foram presos nesta segunda-feira (20/05/2019) durante força-tarefa formada pelas coordenações de Crimes Patrimoniais (Corpatri) e de Repressão às Drogas (Cord). A ação também resultou na apreensão de carros e cocaína.

Os investigadores começaram a apurar o esquema após uma denúncia anônima. Segundo a acusação, a quadrilha levava os carros ao Paraguai após adulterar documentos e sinais identificadores. Parte dos valores dos crimes era trocado por entorpecentes. A força-tarefa conseguiu seguir um comboio de criminosos até a cidade de Capitan Bado, no país vizinho.
 

Os suspeitos conduziam três veículos roubados no DF. Um dos carros foi apreendido ainda em território nacional. Uma caminhonete S10 e uma Pajero chegaram a atravessar a fronteira, impedindo a intervenção policial. Por meio de fotos de satélite e acompanhamento, os agentes identificaram uma casa no Paraguai usada como ponto de recepção dos automóveis e distribuição de drogas.

Segundo o delegado da Corpatri, Erick Sallum, os alvos escaparam do monitoramento durante o trajeto até o Paraguai. No entanto, quando os policiais retornavam ao DF, um dos bandidos se hospedou no mesmo hotel da equipe da força-tarefa. “De todos os estabelecimentos da cidade, o criminoso escolheu justamente aquele em que estávamos”, comentou o policial.
 

Líder
Erick Sallum destacou que um dos líderes da organização criminosa foi preso e encontra-se à disposição da Justiça. “Também foram apreendidos uma moto com valor aproximado de R$ 45 mil, um Honda Civic, um Bora, uma Saveiro e meio quilo de cocaína”, detalhou.

Os envolvidos responderão por organização criminosa, tráfico internacional de drogas, roubo, adulteração de veículos, uso de documento falso, receptação e lavagem de dinheiro. As penas ultrapassam 30 anos de prisão.

O diretor da Cord, delegado Rogério Rezende, ressaltou a capacidade operacional da Polícia Civil em desarticular rotas de tráfico internacional de drogas. “Efetuar prisões em todo território nacional, apurando fatos que se dão a quase 1,5 mil quilômetros de distância, mas que repercutem diretamente no DF, demonstra que estamos no caminho certo”, afirmou.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »