28/08/2019 às 07h48min - Atualizada em 28/08/2019 às 07h48min

PACIENTE MORRE APÓS TENTAR ATENDIMENTO QUATRO VEZES NO HOSPITAL REGIONAL DE SANTA MARIA-DF

Erasmo Farias do Santos, 57, morreu de choque séptico e hérnia inguinal estrangulada

G 1

 

 

O martírio do morador de Santa Maria e auxiliar administrativo do Denit, Erasmo Farias, começou no dia 08/08 ao tentar pela primeira vez atendimento no Hospital Regional de Santa Maria. Segundo Josefa da Costa, esposa da vítima, ao sentir fortes dores na barriga, Erasmo decidiu ir ao hospital da cidade em busca de atendimento. Era por volta das 14h quando Erasmo deu entrada na emergência do hospital. De acordo com Josefa, seu marido foi atendido por um médico que o examinou e solicitou um Raio-x. Já às 01h30 da madrugada, Josefa e seu marido foram orientados por uma servidora do hospital a voltar no dia seguinte, pois o médico que havia solicitado o exame de raio-x só atenderia no período da manhã. Assim eles fizeram. Foram embora sem o resultado do exame e sem sequer ser medicado.

No dia 09/08, Josefa preocupada com o estado de saúde do seu marido, o levou para uma Unidade Básica de Saúde da cidade, onde foi medicado e encaminhado com urgência pelo SAMU ao Hospital Regional de Santa Maria. Por volta das 13h, Erasmo deu entrada na emergência do hospital, onde foi atendido, examinado e encaminhado para fazer um exame de tomografia. Passados 10h pela espera do resultado do exame, outro médico que estava no plantão se compadeceu com a situação de Erasmo, o medicou e lhe deu o resultado do exame dizendo: "o seu caso é grave e necessita de cirurgia com urgência". De acordo com Josefa, o médico subiu para o centro cirúrgico em busca de uma vaga, porém sem sucesso devido a superlotação, liberou o paciente solicitando que retornasse pela manhã do dia seguinte para os devidos encaminhamentos. Assim eles fizeram. Foram embora mais uma vez sem o atendimento devido.

No dia 10/08, a pedido do médico do dia anterior, Erasmo e sua esposa voltaram ao hospital em busca de atendimento e, segundo Josefa da Costa, ouviu com todas as letras de uma médica cirurgiã, de nome Cristina, que o caso do seu marido não era de urgência, e sim ambulatorial. Que naquele momento só estavam atendendo baleados e esfaqueados. Por fim, o caminhou para o ambulatório do hospital. Revoltados, Erasmo e Josefa mais uma vez retornaram para casa sem atendimento.

Três dias após a última tentativa, Erasmo passou mal em sua residência e foi levado as pressas para o hospital de Santa Maria, onde foi submetido a uma cirurgia de urgência, vindo a falecer no dia seguinte na UTI do hospital.

Em entrevista ao Radar, Josefa, ainda muita abalada, desabafou que irá entrar com uma ação judicial contra o Hospital Regional de Santa Maria, a fim de fazer justiça às negligências sofridas pelo marido e para que outras pessoas não passem pelo sofrimento que está passando no momento.

Em matéria no DFTV, a Secretária de Saúde não havia se pronunciado sobre o ocorrido com Erasmo Farias dos Santos

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »