26/07/2020 às 07h52min - Atualizada em 26/07/2020 às 07h52min

Bolsonaristas usam contas alternativas após suspensão de redes sociais

O ex-deputado Roberto Jefferson acusou a determinação do ministro Alexandre de Moraes de 'tirania'

Os investigados no inquérito das fakes news, que foram banidos do Twitter e do Facebook nesta sexta-feira (24/7), estão utilizando outras contas para continuar se comunicando nas redes. O banimento dos apoiadores do presidente Jair Bolsonaro foi determinado pelo ministro Alexandre de Moraes, responsável pela investigação que corre no Supremo Tribunal Federal (STF). 
 
Jefferson, os empresários Luciano Hang e Otávio Fakhoury, a extremista Sara Giromini e o blogueiro Allan dos Santos. 
 
Condeando no Mensalão, Roberto Jefferson está utilizando a conta da filha, a ex-deputada Cristiane Brasil (PTB). O político usou o espaço para dizer que a ordem do STF era uma "tirania". "Alexandre, não temo sua tirania!", escreveu. 
 
Allan dos Santos está usando uma outra conta que já era dele. Em um dos tuítes, o blogueiro fala que a postura do STF é "ditatorial". 
 
 
 
Já a extremista Sara Giromini, conhecida como Sara Winter, criou uma nova conta no Twitter. Em um primeiro tuíte, ela diz que a ação do STF tem como objetivo "desmantelar os apoiadores do presidente Jair Bolsonaro". 
 
 
 
O empresário Luciano Hang só se manifestou pelo conta do Instagram, que não foi suspensa. Ele fez uma transmissão ao vivo para falar com os apoiadores. 
 
 
 
O ministro Alexandre de Moraes determinou a suspensão das contas por ter encontrado  'sérios indícios' de que o grupo praticou crimes de calúnia, difamação, injúria, associação criminosa e contra a Segurança Nacional.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Oportunidade_de_emprego