05/02/2021 às 08h42min - Atualizada em 05/02/2021 às 08h42min

União Química e Ministério da Saúde tratam da Sputnik V em reunião nesta sexta (5/2)

O encontro de representantes da farmacêutica e do Ministério da Saúde deve girar em torno da aquisição de doses da vacina e do PNI

Em entrevista ao Metrópoles, o dono da União Química, Fernando Marques, afirmou “não ter dúvidas” de que a vacina será incorporada ao PNI. “É uma questão de tempo. Minha ansiedade é que ela entre logo”, ressaltou.

União Química e Ministério da Saúde têm reunião marcada para esta sexta-feira (5/2). O encontro deve girar em torno da aquisição de doses da Sputnik V, a vacina russa contra Covid-19, e o Programa Nacional de Imunizações (PNI). O secretário-executivo Élcio Franco é quem deve receber representantes da farmacêutica, em Brasília.

A empresa brasileira obteve a transferência de tecnologia do imunizante por meio de acordo com o Fundo de Investimento Direto Russo (RDIF). A União Química pediu autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para uso emergencial da vacina e tem a intenção de trazer da Rússia 10 milhões de doses da Sputnik V entre fevereiro e março.

A empresa quer que a aplicação das doses da Sptunik V comece ainda em fevereiro no Brasil. A União Química começou a produção do IFA [insumo farmacêutico ativo], que é matéria-prima da vacina. A partir do IFA é possível produzir a Sputnik V em território nacional. A previsão da empresa é de fazer 8 milhões de doses por mês até maio.

 
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »