21/04/2021 às 07h30min - Atualizada em 21/04/2021 às 07h30min

Em novo vídeo, morador diz que porteira não presta: “Você é uma merda

Por telefone, morador de prédio de luxo de Goiânia faz ameaças e volta a xingar porteira: "Me passa para o síndico, chimpanzé"

Galtiery Rodrigues
METRÓPOLES
Goiânia – Novas imagens dos insultos proferidos por um morador de um prédio de luxo de Goiânia a uma porteira mostram ele dizendo que a funcionária não vale nada: “Você não presta, desgraçada. Você é uma merda. Você é abaixo de zero”.

O caso ocorreu no domingo (18/4) e veio à tona nessa segunda-feira (19/4), depois da repercussão do vídeo filmado pela própria porteira que mostra o morador, identificado como Vinícius Pereira da Silva, xingando-a de “macaca”, “chimpanzé” e “chipanga”

Nessas novas imagens às quais o Metrópoles teve acesso, a porteira aparece conversando pelo telefone com o tal morador, instantes depois de ele ter ido pessoalmente à portaria. “Vou aí para baixo resolver. Sou policial federal e vou mostrar para vocês”, ameaçou.

O caso foi registrado na polícia e está sendo investigado pelo delegado Gil Bathaus do 8º Distrito Policial de Goiânia como suspeita de injúria racial e ameaça. A porteira esteve novamente nesta terça-feira (20/4) na delegacia e disse que segue abalada com tudo que aconteceu.
Ameaças
O morador ligou na portaria, assim que subiu para o apartamento e começou: “me passa para o síndico, chimpanzé”. A funcionária pergunta de qual apartamento ele é e o morador responde: “eu sou da rola grossa”.
Segundos depois, ele tenta apaziguar e abafar o caso, colocando a porteira como responsável por tudo: “Então, vamos fazer o seguinte: vamos fazer de conta que você não fez nada por mim e vamos fazer de conta que você não me ofendeu, pode ser?”.

Nesse momento, outro funcionário do prédio aparece falando no vídeo, dizendo que não tem jeito de reverter e o morador escuta do outro lado da linha. Ao perceber a intervenção, ele começa com as ameaças, dizendo que é policial federal.

“Você não precisa do seu emprego não, né?”, diz ele em determinado momento da ligação. Em outro, tenta intimidar: “Você sabe quem construiu esse prédio aqui, filha? Fui eu”.
Entenda o caso
O prédio onde tudo ocorreu é o Residencial M Times, que fica no Jardim Goiás, bairro nobre de Goiânia. O morador, Vinícius Pereira da Silva, segundo o síndico do edifício chegou ao portão da garagem sem o controle e apenas piscou os faróis para que a porteira liberasse a entrada.

Ela, no entanto, esperou que ele se identificasse, conforme as regras de segurança do local, e não abriu o portão. O síndico Anderson Schneider esteve com ela na delegacia e depôs como testemunha à favor da funcionária. “Ela seguiu o procedimento correto”, disse.

Insistente, o morador seguiu piscando os faróis do carro, e a porteira não cedeu. Ele ligou na portaria e a funcionária pediu que ele se identificasse por telefone. “Ele não quis e já começou a xingá-la”, conta Anderson.
Em seguida, o morador desceu do carro, foi até a portaria e proferiu os xingamentos. “Macaca, você está fudida (sic)”, disse. Ao ver que a porteira estava gravando, ele a chamou de “chimpanzé” e falou: “me encara, desgraça”.


A porteira tem 35 anos de idade e trabalha há seis anos na função. Anteriormente, atuou em uma empresa de vigilância em Goiânia. O Metrópoles tenta localizar um representante ou o responsável pela defesa de Vinícius Pereira da Silva. O espaço segue aberto.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Oportunidade_de_emprego