27/07/2021 às 16h01min - Atualizada em 27/07/2021 às 16h01min

Investigações não descartam ajuda de outros fazendeiros em fuga de Lázaro

Até o momento além do fazendeiro Elmi Caetano, 74 anos, a polícia também indiciou duas ex-companheiras de Lázaro e a ex-sogra

A existência de uma rede de ajuda a Lázaro Barbosa continua como um dos focos da investigação do caso do criminoso que mobilizou buscas por 20 dias.

O secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, reforçou que a hipótese não foi excluída. "As investigações caminham para sabermos quem podia ser beneficiado pelos crimes que ele cometeu". Contudo, até o momento o único fazendeiro indiciado é Elmi Caetano, 74 anos. De acordo com Rodney, "ao dar guarita ao Lázaro, ele (Elmi) atrasou em uma semana a captura do foragido", afirma.

A declaração foi feita em coletiva de imprensa, na manhã desta terça-feira, concedida por representantes das forças de segurança do Distrito Federal e de Goiás. O delegado chefe da 24ª Delegacia de Polícia, Raphael Seixas, explicouque a motivação do assassinato cometido contra a família Marques Vidal ainda não foi descoberta. Uma das linhas apuradas é a de crime patrimonial, no entanto a investigação não descarta nenhuma hipótese. Além do assassinato da família Marques Vidal, a 24ª DP investiga quatro inquéritos de roubo em que Lázaro é suspeito.

"O que podemos afirmar com certeza é que a autoria do crime contra família (Vidal) é de Lázaro e que a Cleonice chegou a ser violentada. Mas não descartamos nenhuma informação, tudo está sendo apurado. E precisamos verificar se houve outros envolvidos no crime", destaca.

Para o delegado chefe da 17ª DP (Águas Lindas), Cléber Martins, é importante ressaltar que as investigações estão sob sigilo, mas, em qualquer momento, novas provas podem acrescentar outras linhas de apuração.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Oportunidade_de_emprego